Sex, 20 de Maio de 2016 12:48

Região Oeste dribla crise e lidera geração de empregos no Paraná

Não se fala em crise, trabalha-se Não se fala em crise, trabalha-se


Recém-formada em Psicologia, Ketrin de Souza de Kottwitz, de 22 anos, vive uma realidade bem diferente das demais colegas que acabaram de se formar e que, em meio à crise econômica, ainda procuram por um lugar no mercado. Depois de um período de estágio, ela foi contratada, em fevereiro desse ano, para trabalhar na cooperativa Copacol, em Cafelândia, no Oeste do Estado. 

Filha de agricultores, ela conseguiu uma vaga na área de recursos humanos da cooperativa, que emprega hoje 9 mil pessoas e, somente nesse ano, deve abrir 425 vagas. “Na situação atual do mercado de trabalho, me sinto uma privilegiada. E o melhor é que encontrei um emprego na minha área sem ter que sair da minha cidade”, diz ela, que mora na zona rural, a cinco quilômetros da cooperativa. 

A psicóloga é um exemplo do movimento que vem transformando o Oeste do Paraná no campeão de geração de vagas no Estado. Graças à combinação de forte ritmo de investimentos, apoio do Governo do Estado e a vocação para o agronegócio, a região Oeste do Paraná vem conseguindo driblar a recessão e segurar o aumento do desemprego. 

Entre janeiro de 2011 e março de 2016, a região liderou a criação de empregos no Estado, com um saldo (entre admitidos e demitidos) de 51,7 mil vagas com carteira assinada. Os 50 municípios da região geraram 23,7% do saldo geral do Estado no período, de 217.783 empregos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) levantados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes). 

No acumulado de janeiro de 2011 e março de 2016, a região ficou à frente de outros polos geradores de emprego no Estado, como o Norte Central, polarizado por Londrina e Maringá, com 44.006 vagas, e a região de Curitiba, com 3.496 vagas.

INVESTIMENTOS - Boa parte desse resultado se deve ao aumento dos investimentos. A região Oeste já atraiu, desde 2011, R$ 3,28 bilhões em investimentos enquadrados ou em fase de análise no programa de incentivos Paraná Competitivo, com geração de 24,2 mil empregos diretos e indiretos, de acordo com levantamento da Agência Paranaense de Desenvolvimento (APD). 

Os projetos são capitaneados principalmente pelas cooperativas agropecuárias nas áreas de avicultura e suinocultura. A agência paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) ¨C que é o principal braço de apoio do governo do Estado ao setor produtivo ¨C contratou R$ 1,5 bilhão em financiamentos desde 2011 na região, a maior parte para projetos do agronegócio.

“O setor do agronegócio, muito forte na região, tem um efeito multiplicador e ajudou a movimentar projetos de outros segmentos, como comércio, educação e saúde”, lembra Tatiana Henn, gerente de planejamento, novos projetos e negócios do BRDE no Estado.

FRIGORÍFICOS - Somente o setor de abate e fabricação de produtos de carne respondeu por um saldo positivo de 5.976 vagas no período analisado pelo Ipardes. 

“A região Oeste vem colhendo ganhos sociais graças à sua estrutura produtiva que é concentrada na geração de emprego. Frigoríficos, por exemplo, são intensivos de mão de obra. Essa característica tem tornado a região mais resiliente à crise”, diz o diretor-presidente do Ipardes, Julio Suzuki Júnior. 

Apesar da concentração no agronegócio, o emprego também se multiplicou em outros segmentos, que se beneficiam da movimentação econômica que vem do campo. O comércio varejista ficou em segundo lugar no saldo de vagas entre 2011 e 2016, com 2.843 vagas, seguido pelo setor de limpeza, com 2.663 vagas, transporte rodoviário de carga (2.321) e serviços administrativos (1.809).

DESTAQUES - Cascavel foi o município com maior saldo acumulado no período, com 14,3 mil empregos, seguida por Foz do Iguaçu, com 7.580 vagas, Medianeira, com 6.613; e Toledo, com 5.498. No primeiro trimestre de 2016, mesmo com o agravamento do desemprego em todo país, a região segue gerando empregos. No período, foram criadas 404 vagas com carteira assinada no Oeste do Estado, de acordo com Caged.

 




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box