Ter, 09 de Agosto de 2016 10:16

Vestibular dos Povos Indígenas tem inscrições abertas no Paraná


A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) organiza, neste ano, a 16ª edição do Vestibular dos Povos Indígenas. Sete universidades estaduais paranaenses oferecem seis vagas cada em seus cursos de graduação a pessoas das comunidades indígenas do estado.

Já a Universidade Federal do Paraná (UFPR) oferece dez vagas em cursos de graduação e de técnicos pós-médios a pertencentes a etnias indígenas do Brasil. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até 9 de setembro nas seguintes universidades:

- Unioeste
- Universidade Estadual de Londrina (UEL)
- Universidade Estadual de Maringá (UEM)
- Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp)
- Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
- Universidade Estadual do Paraná (Unespar)
- Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro)
- UFPR.

A coordenação do concurso é da Comissão Universidade para os Índios (Cuia) estadual, com apoio das universidades. A cada edição, o vestibular é organizado por uma das oito universidades.

A avaliação
O concurso consiste em uma prova oral, redação e prova objetiva com cinco questões de cada disciplina do ensino médio.

Em 30 de outubro, é aplicada a prova oral em língua portuguesa. No dia seguinte, a prova objetiva e a redação. No ano passado, a Cuia recebeu 495 inscrições, número que já foi maior que em 2014, quando foram 420 inscritos.

No vestibular indígena, o candidato escolhe apenas a universidade onde deseja estudar e não o curso. A escolha da graduação é feita pelo aluno no ato da matrícula.

Na UEL, existe o Ciclo Intercultural de Iniciação Acadêmica, com duração de um ano, em que os alunos recebem formação intermediária entre a educação básica e o ensino superior.

Vestibular dos Povos Indígenas
Com 17 áreas de reservas indígenas demarcadas, o Paraná foi o primeiro estado a estabelecer uma política pública de ingresso e permanência de indígenas em universidades públicas no Brasil.

O Vestibular dos Povos Indígenas começou há 15 anos, com 52 candidatos e 15 vagas. No período, foram ofertadas 577 vagas. De início, eram três vagas nas cinco universidades estaduais existente na época. Em 2006, o número de vagas aumentou para seis em cada universidade.

A lei que criou o vestibular estabelece a concessão de uma bolsa de assistência para os que entrarem na universidade. Atualmente, a bolsa é de R$ 900 e de R$ 1.350 para quem tem filhos dependentes.

Serviço
Outras informações podem ser obtidas no site da Unioeste. A página é específica sobre o vestibular indígena, onde os interessados encontram ficha de inscrição, que deve ser impressa, preenchida e entregue na instituição de preferência do candidato. (Com informação da UFPR e G1/PR)




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box