Seg, 29 de Agosto de 2016 11:04

Presidente da Fiep, em suposta campanha política, recebe críticas


A oposição ao presidente da Fiep, Edson Campagnolo, está ganhando corpo e densidade na Federação. O principal argumento contra as iniciativas do presidente da Fiep, dizem respeito a posições políticas consideradas “partidárias” que o dirigente estaria tomando. Em lugar de atender aos interesses do empresariado, as ações da entidade estariam focadas nos projetos políticos do empresário que estaria preparando uma candidatura para 2018, usando como plataforma ações que toma em nome da Fiep.

Para desconforto de Campagnolo, também voltaram a ser questionados os salários e vantagens desfrutados pelo dirigente. Salário de R$ 40 mil, e mordomias diversas. Segundo alegam os oposicionistas, Campagnolo é o primeiro dirigente da história do sistema Fiep a ser remunerado. “Além de receber um salário escandaloso, ele está usando a Federação para seu projeto político partidário. Deixando em segundo plano os interesses dos empresários. É o pior dos mundos”, diz o representante classista que, por enquanto, prefere não ser identificado. (do portal ImpactoParaná, citando o blog do Tupan/Bem Paraná)




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box