quinta, 12 de dezembro de 2019


Ter, 18 de Outubro de 2016 11:23

Uraí-PR:Prefeitura não paga e único hospital do município é fechado


 

Moradores de Uraí, a 60 km de Londrina, no norte do Paraná, estão preocupados. O hospital Santa Casa, único hospital do município, fechou as portas na segunda-feira (17), e agora os pacientes não sabem onde serão atendidos.

O hospital Santa Casa ficou sob intervenção do município durante dois anos, mas desde às 0h de domingo (16) a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Uraí voltou a ser responsável pelo hospital. O grupo alega não ter condições de manter o atendimento sem o apoio da prefeitura.

A Santa Casa é o único hospital de Uraí, possui 50 lentos, e atende em média 1.800 pessoas por mês. “O hospital depende 100% de repasses da prefeitura, pois a população é atendida de graça.

Nós dependemos do repasse da prefeitura. Sem o repasse não temos como trabalhar. Então, estamos desde domingo com o hospital fechado”, explica o Luís Marcelo Correa, provedor da instituição hospitalar.

O prefeito de Uraí Sérgio Pitão (PSC), diz que o grupo que administra o hospital solicitou a devolução da Santa Casa em maio deste ano, no entanto não solicitaram repasse financeiro do município até esta terça-feira (18).

“Para a liberação do dinheiro o hospital precisa apresentar certidões negativas comprovando que estão com as contas em dia e não há nenhum outro impedimento, mas eles não fizeram isso. Além disso, precisa ficar claro que mesmo com a autorização do repasse de verba municipal, os recursos só podem ser disponibilizados 30 dias depois. Ou seja, primeiro o serviço é prestado e depois o dinheiro é transferido”, diz o prefeito de Uraí. (informações da RPCTV)

O atual provedor da Santa Casa diz que o hospital possuía certidões negativas antes da intervenção. “Se nós não tivéssemos as certidões negativas a prefeitura não poderia ser interventora e fazer os repasses de subvenção. Foi a prefeitura que perdeu as certidões nesse período de intervenção”, alega Luís Marcelo Correa.

A intervenção municipal na Santa Casa ocorreu há dois anos, após a constatação de irregularidades na instituição. Entre os problemas, foram identificados que repasses de subvenções de 2013 e 2014 foram aplicados de forma indevida, a unidade estava devendo para alguns fornecedores e um paciente morreu em agosto de 2014 porque foi atendido por um falso médico contrato pelo hospital. Além disso, a Vigilância Sanitária da Regional de Saúde cancelou o atestado de funcionamento da instituição emitido pela vigilância municipal.

“Quando o município virou interventor não assumimos as dívidas anteriores da Santa Casa, isso é de responsabilidade do grupo diretor. A nossa responsabilidade é com os atendimentos e pagamentos a partir da data da intervenção”, pontua o prefeito Sérgio Pitão (PSC).

Por enquanto os médicos estão se revezando para fazer o atendimento de urgência e emergência. A prefeitura informou que na próxima semana uma unidade de saúde deve passar a atender a população por 24 horas. Os médicos especialistas que trabalhavam na Santa Casa passarão a atender nesse local.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) informou que a questão é administrativa e, por isso não pode intervir no problema. No entanto, o órgão vai acompanhar a situação de perto, pois a população não pode ficar sem atendimento.

“A Santa Casa é uma entidade privada e a intervenção venceu no dia 16 de outubro. O hospital ainda tem problemas de ordem administrativa e não estava com uma diretoria constituída no fim da intervenção. É um problema do grupo, privado, e nesse ponto o Ministério Público não pode interferir. Entretanto, não deixaremos que a população seja prejudicada por falta de atendimento”, esclarece o promotor José Roberto Manchini.

 




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box