domingo, 20 de outubro de 2019


Qui, 03 de Novembro de 2016 10:31

Governo do Paraná pretende vender ações da Sanepar


O governo estadual se prepara para vender, ainda em 2016, parte das ações da Companha de Saneamento do Paraná (Sanepar). Desde setembro deste ano, o Executivo está apto a negociar os papeis da estatal, sem depender da aprovação pelos deputados estaduais. Além da Sanepar, a mesma possibilidade se aplica à Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Para lançar as ações na bolsa de valores, o governador Beto Richa (PSDB) aguarda apenas um parecer da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), do governo federal. Caso a venda seja aprovada pela entidade, será possível negociar os papeis.

NEste ano, devem ser vendidas apenas ações da Sanepar. As da Copel devem ficar para 2017. O Executivo espera arrecadar R$ 1,3 bilhão com a venda dessas ações. Conforme a lei aprovada na Assembleia, que autorizou a venda, todo o dinheiro deve ser usado para investimentos e não para outras despesas, como pagamento de salários.

O secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, afirma que, mesmo com a venda das ações, o estado ainda continuará sendo o principal acionista da Sanepar. "O estado continuará dono da Sanepar, dono da Copel. Apenas o excedente dessas ações será alienado, transformando em receita e que serão aplicados em outros ativos", diz.

Costa garante que, entre esses ativos, estão obras de infraestrutura para os paranaenses. "Estou falando de estradas, para melhorar a competitividade, unidades habitacionais, falando em investimentos na área da saúde, educação, segurança pública. Investimentos importantes, que melhorarão a qualidade de vida das pessoas que aqui vivem", promete o secretário.

Na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), a oposição reclama da medida. Para o deputado líder da bancada, Tadeu Veneri (PT), a venda das ações pode não alcançar o valor esperado. "Mesmo que o governo venda todas as ações que ele têm hoje, ainda assim, atingiria um valor muito menor do que ele precisa. Pelos nossos cálculos, mesmo que ele vendesse todas as ações, chegaria a R$ 640 milhões, muito distante do que ele tem dito, de que chegaria a R$ 1 bilhão", diz.

Já o líder do governo, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), argumenta que a venda das ações deve ser um bom negócio. "Considerando a estabilidade e, ao mesmo tempo, os bons resultados que a Sanepar vem tendo, [é possível] que essas ações possam ter valor mais elevado ainda na cotação de bolsa, para que o estado possa fazer um ótimo negócio", acredita.





Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box