quinta, 12 de dezembro de 2019


Sáb, 12 de Novembro de 2016 20:46

Municípios pequenos crescem e Paraná fica menos desigual


A vida no município de São João, no Sudoeste do Estado, mudou com a inauguração de um frigorífico de aves e a instalação de duas fábricas de ração nos últimos anos. Com geração de emprego e renda, a cidade, de apenas 11 mil habitantes, que sofria com o êxodo rural, viu seu Produto Interno Bruto (PIB) crescer 144% em três anos, quando passou de R$ 175,6 milhões para R$ 430,1 milhões. A receita do município cresceu 20%, com o aumento da arrecadação, os setores de comércio e serviços deslancharam e foram gerados mais 1,06 mil novos empregos.

São João é um exemplo de como a geração de riquezas ficou menos concentrada nos últimos anos no Paraná. Se em 2010 o Interior gerava 55,2% do PIB paranaense, em 2013 (dado mais recente disponível), essa participação havia alcançado 58,7%, de acordo com dados do IBGE e do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes). No período, o PIB do Interior passou de R$ 124,4 bilhões para R$ 195,4 bilhões.

Das 20 cidades que mais cresceram economicamente no Estado no período, 18 são do Interior (fora da Região Metropolitana de Curitiba), a maioria pequenos municípios. No topo estão cidades que mais que dobraram o PIB, como Sabáudia, na região Norte, que ampliou seu PIB em 139,6%, Arapuã, com avanço de 138,5%, Indianópolis, com 132,7%, Pérola, com 132,2% e Cafelândia, com 127,5%. Apenas dois estão situados na Região Metropolitana de Curitiba – Quatro Barras (110,6%) e Campo Largo (97,5%).

Juntos, somente esses municípios acumulam um saldo positivo de 13 mil vagas formais entre 2010 e 2013, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). “Os dados de emprego confirmam que o desenvolvimento a economia tem um reflexo social importante, que é a geração de mais empregos”, diz Suelen Glinski dos Santos, economista do Observatório do Trabalho, da Secretaria da Justiça e Direitos Humanos. 

INVESTIMENTOS - “O Paraná era um Estado muito mais concentrado e desigual e passou por um processo de transformação nos últimos anos, impulsionado pelos investimentos produtivos e pelos aportes do governo estadual em infraestrutura de transporte, como em rodovias e no Porto de Paranaguá. Hoje temos um Estado muito mais igual do ponto de vista econômico”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes. 

GANHOU FORÇA - O Interior ganhou força, principalmente, com investimentos apoiados pelo Paraná Competitivo, programa de incentivos estadual que levou cerca de R$ 14,2 bilhões em investimentos produtivos somente para o Interior do Estado desde 2011. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) também reforçou sua presença com apoio às cooperativas agropecuárias. 

EMPREGOS - A cadeia produtiva ligada aos frigoríficos, e a indústria do vestuário, a produção de grãos e florestal foram os setores que mais geraram empregos nos 20 municípios que mais cresceram no Estado. 

Em São João, o abatedouro de aves foi instalado pela Coasul Cooperativa Agroindustrial, que tem sede na cidade e 8 mil cooperados. O frigorífico, que abate 160 mil aves por dia, emprega 1,7 mil pessoas, a maioria de São João e das cidades vizinhas, de acordo com o gerente técnico e industrial, Paulo Fachin. O investimento, que teve apoio do BRDE, impulsionou outros setores, como o de serviços. “Hoje temos um restaurante aqui que serve 1,7 mil refeições por dia. Contratamos prestadores de serviços de transporte que fazem a coleta do frango vivo e entregam no frigorífico e os que levam a produção até o porto”, diz. Atualmente 50% da produção tem como destino a exportação.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box