Ter, 10 de Janeiro de 2017 10:27

Influência estrangeira marca história do Parque Nacional do Iguaçu



O Parque Nacional do Iguaçu, no oeste do Paraná, completa 78 anos de criação nesta terça-feira (10). A data será comemorada com um bolo servido aos visitantes, entre eles brasileiros e estrangeiros que fazem da unidade de conservação a segunda mais procurada do país, atrás apenas do Parque Nacional da Tijuca, que abriga o Cristo Redentor.

O aspecto cosmopolita da reserva vizinha à Argentina e quase na fronteira com o Paraguai não se resume apenas à localização e à preferência dos turistas dos mais de 170 países que já a visitaram desde 1980, quando o registros começaram a ser feitos. Quintal de tribos indígenas, a área que abriga as Cataratas do Iguaçu foi vista pela primeira vez por um homem branco pelo desbravador espanhol Álvar Núñes Cabeza de Vaca ainda no século 15.
Visitantes de todo o mundo já passaram pelas Cataratas do Iguaçu; em 2016, os estrangeiros foram responsáveis por 47% dos ingressos (Foto: Cataratas do Iguaçu S. A. / Divulgação) 

Visitantes de todo o mundo já passaram pelas Cataratas do Iguaçu; em 2016, os estrangeiros foram responsáveis por 47% dos ingressos (Foto: Cataratas do Iguaçu S. A. / Divulgação)

Outro estrangeiro que ganhou destaque indiretamente na linha do tempo do parque é o antigo proprietário de parte das terras que hoje pertencem à União, o uruguaio Jesús Val. O fato de a área não ser de domínio público chamou a atenção do aviador Santos Dumont, que há 100 anos conhecia a fronteira e se hospedava a poucos metros das quedas d’água.

saiba mais

“Posso dizer-lhe que esta maravilha não pode continuar a pertencer a um particular. Eu vou a Curitiba falar com o presidente do Estado do Paraná, para providenciar a desapropriação das Cataratas e dos 205 mil hectares de terra (o que hoje é o Parque Nacional do Iguaçu)”, declarou na época.

Depois da estada em Foz do Iguaçu, foram seis dias de viagem a cavalo até Guarapuava acompanhado de um soldado da polícia e por um fiscal da prefeitura. De lá, seguiu de carro e de trem até a capital do estado, onde chegou nove dias após ter deixado a fronteira. No dia 8 de maio de 1916 foi recebido por Afonso Camargo, a quem sugeriu a desapropriação da área e a criação de um parque, o que se concretizou poucos meses depois.
Estrutura de visitação é elogiada por turistas que visitam a reserva no oeste do Paraná (Foto: Cataratas do Iguaçu S. A. / Divulgação) 

Estrutura de visitação é elogiada por turistas que visitam a reserva no oeste do Paraná (Foto: Cataratas do Iguaçu S. A. / Divulgação)

Cerca de 20 anos mais tarde, era criado o Parque Nacional do Iguaçu por meio do Decreto 1.035, delimitando a área de 185 hectares atualmente o maior remanescentes de floresta Atlântica do sul do país. Em 1986, recebeu reconhecimento internacional ao se tornar a primeira unidade de conservação brasileira a receber o título de Patrimônio Mundial Natural da Humanidade pela Unesco.

Visitação
Com mais de 1,56 milhão de ingressos nos últimos anos, o parque fechou 2016, no entanto, com queda de 5% na visitação em relação a 2015. A movimentação não teve uma redução maior por conta dos estrangeiros, responsáveis por mais de 740 mil ingressos enquanto os brasileiros por outros 819 mil. No ano anterior, quando a unidade registrou 1,64 milhão de entradas, foram 725 mil representantes de outros países e 916 mil do Brasil.
Passeio de barco pelas corredeiras do Rio Iguaçu permite chegar bem próximo das quedas das Cataratas do Iguaçu (Foto: Cataratas do Iguaçu S.A. / Divulgação) 

Passeio de barco pelas corredeiras do Rio Iguaçu permite chegar bem próximo das quedas das Cataratas do Iguaçu (Foto: Cataratas do Iguaçu S.A. / Divulgação)

A lista é encabeçada por argentinos, paraguaios, franceses, estadunidentes e alemães. Tem ainda nascidos em Ruanda, Congo, Camarões, Mônaco, Nepal, Paquistão, Suriname, Belarus, Djibuti, Palau e Tonga.

“Uma visitação neste porte e com a qualidade que tem de natureza selvagem é muito interessante para um parque. Todo o conhecimento que este visitante venha a adquirir aqui ele passa para a sua família, para a sua vida e a sua sociedade. Os parques são para preservar tudo isso e receber pessoas”, observa o diretor Ivan Baptiston.

Entre os diferenciais da reserva, aponta, está a estrutura de visitação disponível - desde 1999 a cargo da Concessionária Cataratas do Iguaçu S.A. - e as opções de passeios de barco, helicóptero, de bicicleta ou a pé. “As paisagens mais singulares, as feições mais interessantes e a maior beleza cênica representativa do país estão salvaguardadas nos parques nacionais. E, no Parque Nacional do Iguaçu, o visitante tem a oportunidade única não só de contemplar, mas de interagir com a natureza.”

Para quem conhece pela primeira vez ou voltar a visitar a unidade, não faltam elogios. “É precioso. Sempre vale a pena conhecer lugares bonitos e interessantes como este”, destaca o argentino Ravier Nitti. “Esta é a minha segunda vez aqui. Vim quando criança e a família sempre falou que as Cataratas são muito lindas. Agora voltei e realmente é tudo muito bonito”, reforça o também argentino Pablo Dias.

E sem esquecer a data, a turista mexicana Suzana Lopes fez questão de parabenizar o parque. “Desejo muitas felicidades e todo o melhor para o parque porque ele merece, é impressionante, e que siga assim bonito.” (Matéria do G1 Foz/Fotos: Cataratas do Iguaçu S/A)




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box