sexta, 22 de novembro de 2019


Ter, 17 de Janeiro de 2017 21:28

Secretário de Segurança do PR pede transferência de 28 chefes de facções


O secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, pediu a transferência de 28 chefes de facções criminosas que estão presos no estado para presídios federais. A solicitação foi feita nesta terça-feira (17) em uma reunião com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Sob o comando do ministro, secretários de Segurança e Administração Penitenciária de todo o Brasil se reuniram, em Brasília, para discutir o Plano Nacional de Segurança Pública, uma resposta do governo federal para as rebeliões que têm acontecido desde o dia 1º de janeiro em várias regiões do país, causando centenas de mortes.

Segundo o secretário de Segurança, o Paraná deve receber R$ 58 milhões e parte desse dinheiro deve ser usada para a construção de um novo presídio de regime fechado, com 600 vagas. Outra parte vai servir para a compra de equipamentos para agentes penitenciários. A aplicação da verba do Fundo Penintenciário foi um dos temas da reunião.

Fuga em Piraquara
Na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP I), que fica na Região Metropolitana de Curitiba, 28 presos fugiram na madrugada de domingo (15). A fuga aconteceu depois de uma explosão que abriu um buraco em um dos muros da unidade.

Com a fuga, cinco detentos morreram – três no domingo, sendo dois no momento da fuga em um confronto com a Polícia Militar (PM), e o terceiro horas depois.

Outros dois foram mortos também em um enfrentamento com a PM na segunda-feira (16), em Quatro Barras, na Região Metropolitana da capital paranaense.

Até a publicação desta reportagem, 23 presos estavam foragidos.

Solicitação
Conforme informou o Governo do Paraná, o requerimento vai ser analisado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), que poderá encaminhar para a Justiça Federal do estado que tiver vaga em uma unidade prisional federal.

O Paraná já havia solicitado a transferência de chefes de uma facção criminosa, que age dentro e fora dos presídos, em março de 2016, de acordo com o governo estadual. Eles foram identificados durante a Operação Alexandria. Entretanto, o pedido, ainda não foi apreciado.

A operação, deflagrada pela primeira vez em dezembro de 2015,  tem como foco ações contra uma facção criminosa que atua de dentro e fora de presídios do Paraná e de outros estados brasileiros. Mais de 700 pessoas já foram denunciadas pelo Ministério Público Estadual (MP-PR), com base na Operação Alexandria.

Para o secretário de Segurança do Paraná, o crime organizado pode estar por trás da fuga em Piraquara. Ele disse, no dia da fuga, que dará continuidade nas investigações para uma nova Operação Alexandria.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box