Qui, 06 de Abril de 2017 11:48

Ex-deputado do PT leva primeira ‘cana’ na Lava Jato


O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, condenou o ex-deputado federal André Vargas pelo crime de lavagem de dinheiro a quatro anos e meio de reclusão, inicialmente em regime fechado. A sentença foi publicada no sistema da Justiça nesta quinta-feira (6).

De acordo com a denúncia, André Luiz Vargas Ilário, a esposa dele Eidilaira Soares Gomes, com o auxílio do irmão de André Vargas Leon Denis Vargas Ilário, teriam adquirido, com recursos criminosos, um imóvel Londrina, no norte do Paraná.

Eidilaira Soares Gomes foi absolvida da acusação do crime de lavagem de dinheiro. Leon Vargas foi condenado a três anos de reclusão em regime inicial aberto.

A compra da casa teria sido feita por valor inferior ao preço real, ocultando e dissimulando o emprego de R$ 980.000,00, de origem criminosa, utilizados na compra do imóvel. Os réus também teriam utilizados expedientes escusos para dificultar o rastreamento dos recursos utilizados na aquisição, como a realização de depósitos elevados em espécie, sem identificação do depositante, e mesmo a utilização de pessoa interposta, ainda de acordo com a denúncia.

Na decisão, Moro determinou a interdição de André Vargas e de Leon Denis Vargas para exercício de de cargo ou função pública pelo dobro do tempo da pena.

Antes da sentença, na fase em que o MPF e os advogados dos réus apresentaram as alegações finais, o representante de André Vargas alegou cerceamento de defesa. O advogado negou que houvesse ocorrido declaração de valor menor e que o dinheiro utilizado para pagar o imóvel era lícito.

Voltar ao Topo