Dom, 09 de Abril de 2017 17:33

ONCINHA NASCIDA NO REFÚGIO DE ITAIPU SERÁ MOSTRADA AOS TURISTAS NESTA SEGUNDA-FEIRA,10



Mamãe e bebê onça poderão ser vistas pelos visitantes do Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), juntinhas, a partir das 14h de segunda-feira (10), no recinto instalado no circuito turístico local. O filhote de onça-pintada (Panthera onca) preta, que ainda não tem nome, passará a revezar o uso do espaço com o pai. Valente usará o recinto numa parte do tempo e Nena e a oncinha, no outro.

A filhote estava sendo mantida isolada com a mãe, para adquirir mais autonomia, até que pudesse ser solta no espaço aberto. No local, a oncinha terá condições para continuar o seu bom desenvolvimento em um ambiente o mais próximo possível do natural. No recinto externo, ela poderá escalar árvores, aprender a nadar e a caçar, seguindo os passos da mãe.

Por causa do revezamento, nem sempre a oncinha poderá ser vista no recinto do Refúgio Biológico. “Faremos o revezamento para que todos usufruam da área externa no recinto, possam se exercitar, mas com prioridade para as duas fêmeas”, explicou o médico veterinário Wanderlei de Moraes, da Divisão de Áreas Protegidas de Itaipu.

Antes da apresentação para a imprensa, no recinto das onças, foi feito um teste para ver a adaptação da oncinha no local. Na ocasião, as duas foram soltas no recinto e retornaram para a área fechada com tranquilidade.

O manejo foi considerado um sucesso pela equipe do Refúgio. “De início, a oncinha ficou um pouco incomodada, receosa com o novo ambiente, mas depois se soltou, correu e brincou com a mãe”, disse Moraes. “Foi muito legal ver a interação das duas."

Concurso
Após este período de adaptação, a Itaipu lançará um concurso para e escolha do nome da oncinha. A data ainda não foi definida, mas deve ocorrer no aniversário de seis meses do filhote.

Reprodução
Há exatos 100 dias, em 28 de dezembro, o nascimento da oncinha foi o primeiro caso bem-sucedido de reprodução da espécie em cativeiro no Refúgio, em 14 anos de tentativas. A mãe Nena, de cor preta, tem três anos de idade e chegou ao Refúgio em agosto do ano passado, doada pelo Criadouro Científico Instituto Onça-Pintada, de Goiás. O pai, a onça-pintada Valente, tem nove anos de idade e é morador antigo do Refúgio.

O encontro entre o casal ocorreu um mês depois da chegada de Nena. E já deu resultados: dele, nasceu a bebê-onça, à imagem e semelhança da mãe. Ambas são da espécie onças-pintadas, mas têm tonalidade preta (melânica), condição criada pela quantidade de melanina.

S5 Box