segunda, 18 de dezembro de 2017


Seg, 10 de Abril de 2017 13:27

Moro diz que investigar vazamentos ilegais "é como caçar fantasmas"


O juiz federal Sergio Moro reconheceu vazamentos em delações de executivos da Odebrecht na operação Lava Jato e afirmou que investigá-los "é quase como se fosse uma caça a fantasmas". Em entrevista exclusiva à BBC Brasil na Havard Business School, em Cambridge (EUA), o responsável pela operação afirmou que a investigação de vazamentos ilegais de depoimentos de investigados à imprensa "fica comprometida por questões jurídicas", como o direito ao sigilo de fontes de jornalistas e a liberdade de imprensa, garantidos pela Constituição. "Não estou reclamando destas proteções jurídicas, acho importante", afirmou Moro.

Há duas semanas, a defesa do presidente Michel Temer na ação que pede a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pediu a anulação das oitivas da Odebrecht, inclusive a de Marcelo Odebrecht, alegando que o TSE só teria convocado executivos da empreiteira para depoimento após o vazamento ilegal do conteúdo da delação feita como parte da Lava Jato.

O ex-presidente Lula, por sua vez, enviou uma petição ao comitê de direitos humanos da ONU (Organizações das Nações Unidas), alegando que a operação busca a "destruição de reputação através de vazamentos ilegais de documentos e depoimentos à mídia".

À reportagem, Moro disse que investigar jornalistas e veículos que publicaram conteúdos vazados "seria contrário a proteção de fontes, à liberdade de imprensa". "E isso nós não faríamos", disse.

S5 Box