segunda, 18 de dezembro de 2017


Qua, 12 de Abril de 2017 20:42

Osmar Dias também beliscou uma ‘quirera de 500 mil’ da Odebrecht

Era o Caim na planilha Era o Caim na planilha


O ex-presidente da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis, afirmou em depoimento de delação premiada à Procuradoria-Geral da República (PGR) que repassou R$ 500 mil ao ex-senador Osmar Dias (PDT). O dinheiro era para ser usado na campanha dele ao governo estadual do Paraná, em 2010.

De acordo com Reis, a quantia foi repassada a pedido do ex-ministro e presidente do PDT Carlos Lupi. De acordo com Reis, o acerto aconteceu dentro do gabinete de Osmar Dias. Fiquei de ir mais tarde ao gabinete do Osmar Dias no Senado. Combinamos então a contribuição de R$ 500 mil. Ele me deu com certeza o telefone de alguém dele, que operacionaria, disse. Eu passei para o setor de Operações Estruturadas", afirmou o delator.

O Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht era o local usado pela empresa para operar o repasse de quantias de propina a políticos e funcionários públicos. Foi nesse lugar em que foi encontrada uma planilha com vários apelidos, que ficou conhecida como lista da Odebrecht.

Nessa lista, um dos vários apelidos que aparece é Caim. De acordo com Reis, esse nome se refere ao ex-senador paranaense. "Atribui a ele o codinome Caim, por causa da briga dele com o irmão, Álvaro. Me ocorreu a referência a Caim e Abel e nós fizemos esse pagamento de R$ 500 mil", disse.

S5 Box