Sex, 14 de Abril de 2017 12:59

Futuro dos delatores da Odebrecht será decidido por Fachin Data vênia, PERDOA MINISTRO; LADRÕES QUE ENTREGAM LADRÕES MERECEM MIL ANOS DE PERDÕES


O futuro dos delatores da Odebrecht está nas mãos do ministro Edson Fachin. É ele quem vai decidir quando os ex-executivos começam a cumprir pena. Marcelo Odebrecht é o único que está preso. Os crimes vão de corrupção a caixa dois nas campanhas eleitorais.

Eles vão pegar penas mais leves, mas serão punidos. Para dar uma idéia do alcance político das delações, 18 partidos têm representantes investigados na Lava Jato.

Setenta e seis inquéritos nos Supremo Tribunal Federal. Noventa e oito pessoas investigadas com base nas delações da Odebrecht. O patriarca da empresa se disse surpreso com o tamanho do esquema.

'Então, isso daí, nem eu. Muitas coisas para mim foram surpresas. Se foram para mim, imagine.Todos podiam almejar que tinha muita coisa, mas nem tanto. O senhor imaginava, como eu imaginava, que o que aconteceu com a Petrobras, nesse nível de coisas que aconteceram com a Petrobras. Inimaginável! Para mim, se me perguntassem lá atrás, eu digo: isso é fantasia',  comenta Emílio Odebrecht.

Já o filho, Marcelo, parece não ter sido pego de surpresa. Na delação, deixou muito claro como funcionava o relacionamento entre políticos e empresários no Brasil.

'Eu não conheço nenhum político no Brasil que tenha conseguido fazer qualquer eleição sem caixa 2. O caixa dois era 3/4, o que eu estimo. Não existe ninguém no Brasil eleito sem caixa 2', diz Marcelo Odebrecht.

Henrique Valladares, um dos executivo que confessaram ter participado do esquema de pagamentos de propina a políticos, contou que era rigoroso com o caixa 2 nas obras que comandava na construtora. Dois pesos e duas medidas.

'E eu não aceito isso, eu não aceito que meus empregados, meus liderados estejam dispostos a uma situação dessa. Por isso eu sou muito rigoroso com esse tema de caixa 2. É absolutamente proibido. Se fizer, pode ser R$ 100 num posto de gasolina, tá demitido', diz.

Confissões como essas e tantas outras, que revelaram a dimensão da Lava Jato, vão ajudar os delatores a escapar de penas mais pesadas. o que não significa que deixarão de ser punidos.

Os 78 executivos que fizeram delação premiada terão que cumprir pena pelos crimes que praticaram. Os inquéritos vão apurar corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e caixa dois, entre outros crimes.

O ex-presidente Marcelo Odebrecht recebeu a maior pena e é o único que está preso. A condenação de 10 anos foi dividida da seguinte forma: 2 anos e meio na cadeia, período que termina no final deste ano. Mais 2 anos e meio em prisão domiciliar, dois anos e meio com tornozeleira eletrônica, em regime semi-aberto, e os últimos 2 anos e meio em regime aberto.

Os outros executivos tiveram pena menor. A maioria vai ficar em prisão domiciliar

O acordo firmado entre os advogados da Odebrecht e a procuradoria geral da república prevê que os executivos deveriam começar cumprir as penas assim que o Supremo homologasse as delações. Mas isso não aconteceu. No meio jurídico, há quem defenda que os delatores só podem começar cumprir depois que forem condenados pela justiça. A palavra final sobre isso vai ser dada pelo ministro Edson Facchin, relator da Lava Jato no Supremo.

E para dar uma ideia do alcance político das delações, 18 partidos têm representantes investigados na Lava Jato.

S5 Box