Qua, 10 de Maio de 2017 20:09

Temer vê 'brasileiro contra brasileiro' e diz que é preciso eliminar 'raivosidade'


O presidente Michel Temer afirmou nesta quarta-feira (10), em discurso no Palácio do Planalto, que o Brasil precisa sair da condição de "embate permanente",. Segundo ele, isso coloca "brasileiro contra brasileiro". O presidente pregou a "cordialidade" como "regra geral" no país.

Temer fez a declaração durante de assinatura de um decreto de regularizaão portuária, destinado a flexibilizar a concessão de áreas nos portos.

"Precisamos pacificar o país. O país não pode ficar nessa condição de embate permanente, brasileiro contra brasileiro. A regra geral é a cordialidade entre os brasileiros. É preciso eliminar uma certa raivosidade que muitas vezes permeia a consciência nacional. Precisamos ter paz, tranquilidade e saber que nada vai impedir o Brasil de trabalhar", afirmou o presidente.

Durante o discurso, o presidente não associou a declaração a nenhum episódio e não disse a que se referia especificamente.

 

Inflação

No momento em que falou sobre a "raivosidade", Temer citava resultados do governo.

Ele afirmou que as medidas que tem tomado para garantir a redução da inflação e do desemprego já indicavam, segundo ele, que “o Brasil está voltando aos trilhos”, e que esses avanços devem ajudar a acalmar os ânimos da população.

"É importante ressaltar o que está acontecendo no nosso país. Quando vemos o quadro da inflação, vemos com orgulho", disse.

De acordo com o presidente, resultados como superávit na balança comercial e redução na inflação para 4,5% dão ao governo a certeza de que “os brasileiros estão começando a ficar otimistas com a economia e dizendo que eles têm otimismo em relação ao futuro”.

Com a flexibilização na concessão de áreas nos portos, o governo estima em R$ 25 bilhões os novos investimentos que serão gerados no setor. Temer afirmou que o decreto, aliado às reformas em tramitação no Congresso Nacional, ajudará na geração de empregos.

“Só temos como investir com a garantia de que vamos gerar empregos com base nesses investimentos, e que serão dinamizantes da nossa economia”, afirmou durante o discurso.

Ele se disse confiante na aprovação da reforma trabalhista no Senado. Na Câmara, a comissão especial concluiu nesta terça a votação do projeto de reforma da Previdência.

S5 Box