Seg, 15 de Maio de 2017 20:00

Prefeitos da Grande Curitiba dizem que não há condições financeiras para arcar com pedidos inviáveis de servidores



Os prefeitos da região metropolitana de Curitiba assinaram, nesta segunda-feira (15), uma carta em conjunto que alerta sobre o equilíbrio financeiro dos municípios. A discussão é promovida pela Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) e o documento será enviado a Brasília pela Assomec, para que seja lida em plenário por deputados federais e senadores.

O tema principal do documento fala sobre discutir a data-base dos servidores dos municípios. A carta propõe que os aumentos e a reposição salarial não sejam automáticos, todos os anos, mas que sejam discutidos tão logo as receitas públicas dos municípios permitam, sempre dentro dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Para o presidente da Assomec e prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Cláudio Wozniack, todos os municípios da região metropolitana estão passando pelos mesmos problemas de falta de recursos. A carta assinada nesta segunda-feira é um alerta para a população e para os servidores públicos. “A carta foi redigida pelos prefeitos da região metropolitana, municípios diferentes, mas com problemas comuns. É o caso de Araucária e outros mais que vão enfrentar situações com a data-base dos servidores. Os ajustes são necessários, senão a coisa vai ficar difícil e vamos deixar de honrar os compromissos que são de obrigação da administração municipal”, afirmou.

Rafael Greca lembrou do Plano de Recuperação de Curitiba, que foi enviado à Câmara Municipal e está em discussão pelos vereadores. “As cidades não podem ser reféns de reivindicações que não podem ser cumpridas, as cidades têm que servir à população, antes de servir aos interesses de avanços salarial dos funcionários”, disse.


S5 Box