domingo, 20 de outubro de 2019


Sex, 14 de Julho de 2017 10:50

Ex-diretor dos Portos de Paranaguá e Antonina é preso acusado de corrupção




O ex-diretor da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Carlos de Souza, foi preso na manhã desta sexta-feira (14) em operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Além de Souza, com prisão preventiva, também foram presos o administrador do terminal Ponta do Félix, Valdécio Antonio Bombonato, e o lobista Rafael de Moura. Também foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Criminal de Antonina a pedido da Promotoria de Justiça da comarca.

As investigações buscam apurar crimes de corrupção ativa e passiva e associação criminosa no setor portuário de Antonina, no litoral do Paraná, como explica o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti. “O esquema promovia que pessoas ligadas aos portos, tanto o privado quanto o estatal, promoviam atos de corrupção para que o Poder Público Municipal promovesse situações de interesse dos portos em detrimento do interesse público.

Apesar do Porto de Antonina ser público, não é possível admitir relações espúrias que prejudiquem o interesse de toda a população da cidade”, afirmou à Banda B.

Os mandados de busca e apreensão (no Terminal Portuário Ponta do Félix, em um escritório de advocacia, em uma empresa e em seis residências) foram cumpridos em Antonina, Pontal do Paraná, Paranaguá, Pinhais e Curitiba.

O ex-assessor de João Domero, Tico Boca, chega a beijar o dinheiro da propina – Reprodução TV Globo

Origem

De acordo com as investigações do MPPR, o então prefeito João Domero pagou propina a alguns vereadores para que eles votassem contra sua cassação em processo que estava em curso na Câmara Municipal. Além disso, o ex-prefeito teria pago para que vereadores apoiassem sua gestão.

Quanto ao ex-diretor da Appa, o MPPR apurou que ele teria pago para que alguns vereadores retirassem de pauta no Legislativo projeto contrário aos interesses da atividade portuária.

“A investigação inicialmente se fechou no pagamento do mensalinho do ex-prefeito, mas, além disso, se descobriu depois um método de corrupção para aprovar medidas que beneficiavam os portos como a criação de leis que liberavam a passagem de caminhões de grande porte, doações de terrenos públicos para empresas ligadas ao grupo e o impedimento da criação do Conselho Municipal do Meio Ambiente”, disse Batisti.

Os réus foram denunciados por associação criminosa e corrupção ativa e passiva. As investigações evidenciaram outros fatos ilícitos que geraram a instauração de novos procedimentos investigatórios em curso, entre eles: oferta de pagamentos mensais a vereadores pela Appa para prefeitos de Antonina, práticas de corrupção durante a formação do Conselho Municipal do Meio Ambiente e para a liberação de nota fiscal do Terminal Portuário Ponta do Félix.

Reportagem

No início do mês, uma reportagem foi apresentada no programa Fantástico, da Rede Globo, sobre corrupção envolvendo o ex-prefeito João Domero e ex-vereadores de Antonina. A reportagem mostrou vídeos gravados por Domero mostrando o pagamento de ‘mensalinho’ a alguns ex-parlamentares – César Luiz Cordeiro, Ademir Barroca e Galo Cego.

Domero admitiu ter recebido alguns pagamentos (R$ 10 mil por mês) do ex-vereador e ex-diretor do Porto de Antonina, Luiz Carlos de Souza, mais R$ 2 mil de crédito no Mercado Nenê para comprar cestas básicas para os mais carentes, segundo Domero. “Errei muito, mas por falta de conhecimento”, tentou justificar o ex-prefeito na reportagem.

Numa das imagens mais impressionantes, o ex-assessor de João Domero, Tico Boca, chega a beijar o dinheiro da propina.  Em depoimento ao Ministério Público, o ex-vereador Galo Cego chegou a chorar.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box