segunda, 19 de agosto de 2019


Sex, 14 de Julho de 2017 19:47

Paranaense ministro da Saúde admite deixar o cargo para votar pró Temer

 

O ministro da Saúde e deputado federal licenciado paranaense, Ricardo Barros (PP), admitiu hoje deixar o cargo temporariamente para voltar à Câmara para votar contra a admissão da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. “Represento o PP no ministério. Farei o que for definido pela bancada e pelo presidente”, alegou Barros, que é marido da vice-governadora Cida Borghetti (PP).

Segundo o ministro, cabe à oposição conseguir quórum para votar a matéria. São necessários 342 votos para que a denúncia seja acatada. “Se a oposição deseja tanto afastar o presidente, que compareça em plenário hoje à noite, amanhã”, disse. “A responsabilidade agora para apresentar-se para votar a matéria é da oposição. A base do governo está pronta para votar o quanto antes porque o Brasil precisa de trabalho, andar para frente”, afirmou Barros.

O ministro disse ainda que haveria um movimento corporativista “exacerbado”, liderado por categorias muito privilegiadas, como Ministério Público e Judiciário, em reação contra a reforma da Previdência proposta pelo atual governo. “Eles que ganham o salário teto não querem a Reforma da Previdência”, alegou.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box