domingo, 19 de novembro de 2017


Seg, 30 de Outubro de 2017 11:46

Halloween vende mais que o Carnaval

(Foto: Franklin de Freitas/Bem Paraná) (Foto: Franklin de Freitas/Bem Paraná)


Em Curitiba, o Natal chega já no fim de outubro. Ao menos para as lojas de locação e venda de fantasias, que esperam o ano todo pelo mês de outubro, quando se comemora o Dia das Crianças, no dia 12, e, principalmente a Festa de Halloween, no dia 31. Além das escolas de inglês que comemoram a data como uma forma de ensinar o idioma inglês através da cultura dos Estados Unidos, nos últimos cinco anos a data encontrou espaço no calendário de empresas multinacionais e em condomínios fechados da região de Curitiba, além de festas temáticas.

Há lojas que comemoram, e muito, os resultados. “As vendas do mês representam o equivalente a venda de três meses inteiros”, conta Carlos Eduardo Kleuser, gerente da loja Isofestas Curitiba (Rua José Peixoto de Lacerda Werneck, 23), uma distribuidora especializada em artigos para festa, localizada no Hauer. Ele revela que durante o mês todo há movimento com vendas de fantasias, adereços e maquiagem. “Nem no Carnaval temos este movimento”, diz. 
Kleuser, que está no ramo de artigos de festas há 27 anos, revela que a comemoração deixou de ter o conceito de que era coisa de bruxaria e, por isso, ele aposta em um crescimento ainda maior para os próximos cinco anos. “Mas isso é uma coisa mais da região Sul, onde o Carnaval não tem tanta tradição como nos estados do Nordeste e Sudeste”, afirma. Ele revela que as empresas do setor costumam passar o ano todo estocando material para vender em outubro.
O mesmo ocorre em outra loja do ramo, a Máscaras e Fantasias (Rua Domingos Fernandes Maia, 105), localizada no Bairro Alto. O proprietário da loja, Marcelo Salles, revela que esse movimento vem crescendo, ano a ano, já há cerca de uma década. Salles cita as escolas de inglês como as responsáveis pela importação da comemoração estadounidense, seguida pelo ambiente corporativo e condomínios, onde as crianças costumam bater na porta das casas pedindo doces na noite de 31 de outubro. 
Salles explica que o movimento tende a crescer. “Aqui no Brasil ainda são procuradas apenas as fantasias de horror. Nos Estados Unidos, as crianças e adultos que saem para comemorar o halloween saem fantasiadas com qualquer personagem que achem conveniente, não apenas de horror”, conta. 
Além dos condomínios, lojas como a Burguer King, casas de shows, petshops e shoppings também adotam a data para promover vendas e atrair a clientela. No Nina Pet Shop, localizado no bairro no Portão, a loja toda já entrou no clima para a festa do dia das bruxas. Além de decoração, os cães que chegam para a tosa e banho também ganham adereços com referência a data. (Portal Bem Paraná/Curitiba)

S5 Box