sexta, 24 de novembro de 2017


Sex, 10 de Novembro de 2017 09:06

Surfistas enfrentam água gelada e surfam sob aurora boreal na Islândia


Tempestade, ondas grandes, fortes e congelantes e, ao fundo, a aurora boreal. Esse é o cenário visitado por um grupo de surfistas na costa norte da Islândia, acompanhado pela câmera do cineasta e fotógrafo americano Chris Burkard. Confira, no vídeo, a aventura dos surfistas.

O resultado foi o documentário 'Under an Arctic Sky', exibido no Festival de Tribecca, em Nova York. Entre os destaques do filme, estão imagens do surfista americano Timmy Reyes surfando sob a aurora boreal e a história do primeiro surfista profissional da Islândia, Heidar Logi, que diz ter encontrado uma "razão" de vida graças ao esporte.

Diagnosticado com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) ainda na infância, ele não sabia como expressar tanta energia e acabou descobrindo o caminho para isso por meio do surfe.

"O surfe para mim é a melhor coisa", diz. "Mudou absolutamente a minha vida".

O TDAH é um transtorno neurobiológico de causas genéticas, caracterizado por sintomas como falta de atenção, inquietação e impulsividade. Aparece na infância e pode acompanhar o indivíduo por toda a vida, segundo informações do Ministério da Saúde do Brasil.

Para Heidar Logi a sensação era de que iria "explodir" se não pusesse aquela energia para fora. Aos seis anos de idade, ele chegou a ter, inclusive, pensamentos suicidas por causa disso.

"Não é o tipo de pensamento que uma criança deveria ter", diz. "Mas com tanta energia comecei a ficar deprimido".

O islandês descobriu o surfe aos 15 anos e isso melhorou o seu TDAH. Ele pratica o esporte sob frio intenso, em meio a muita correnteza e a ondas grandes e fortes.

A atuação profissional começou há dois anos. A prática, diz ele, é cheia de vantagens. "Depois de um bom dia de surfe você fica completamente exausto e aquela sensação de ter gastado tanta energia e de estar tão cansado é exatamente o que eu amo no surfe".

S5 Box