quinta, 18 de janeiro de 2018


Sáb, 06 de Janeiro de 2018 13:15

Meirelles diz ser contra suspensão da 'regra de ouro'


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou a jornalistas nesta sexta-feira (5), após evento em uma igreja evangélica em Brasília, que é contra a suspensão "pura e simples" da chamada "regra de ouro" – que impede o governo de emitir dívida em montante superior aos investimentos.

Essa regra, na prática, limita o quanto o governo pode se endividar. Pelas projeções, em 2017, a norma será cumprida. Isso porque o valor do endividamento do governo foi menor do que as despesas de capital, que incluem os investimentos feitos no ano.

A mudança na "regra de ouro" começou a ser discutida no governo no fim do ano passado, com a resistência do Congresso em aprovar a reforma da Previdência e as medidas de ajuste fiscal propostas pela equipe econômica.

Segundo o ministro da Fazenda, há uma proposta de parlamentares de modificar a regra de ouro – para suspendê-la por alguns anos. Aos jornalistas, ele também disse ser contra essa proposta.

"Não gosto dessa proposta. Não aprovo. Precisamos criar mecanismos que sejam autorreguláveis, isso é, se houver uma quebra da regra de ouro, que isso seja ajustado com normas constitucionais, cortando despesa, subsídios, congelando custos, de modo que a regra seja seguida. Queremos que a regra seja seguida e não suspensa", declarou Meirelles.

Ele afirmou ainda que esse não é um problema do governo do presidente Michel Temer, que, segundo afirmou, cumprirá a meta fiscal neste ano e também a regra de ouro.

"Existe uma preocupação para os próximos anos, principalmente pela evolução das despesas obrigatórias, da previdência. Então, existe toda uma discussão em como fazer isso", acrescentou.

 

S5 Box