Ter, 09 de Janeiro de 2018 08:17

Novo diretor técnico toma posse com Itaipu em alta produção

(Foto: Júlio Covello/Itaipu) (Foto: Júlio Covello/Itaipu)

 

O engenheiro eletricista Mauro Corbellini tomou posse nesta segunda-feira (8) como novo diretor técnico executivo de Itaipu, em cerimônia realizada na sede da binacional em Curitiba. A nomeação ocorreu no dia 27 de dezembro pelo presidente da República, Michel Temer, com Itaipu prestes a fechar 2017 com o melhor mês de todos os 33 anos e sete meses de operação.

A cerimônia contou com a participação de toda a diretoria de Itaipu, do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do ministro da Saúde, Ricardo Barros, da vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, de familiares de Corbellini e outras autoridades.

“É com imenso prazer que retorno a atuar na região Oeste do Paraná”, afirmou o engenheiro, que já trabalhou em diversos projetos na região, desde a interligação dos sistemas brasileiro e paraguaio quando da construção da Ponte da Amizade e a implantação do sistema de comunicação por rádio VHF e UHF da Telepar, nos anos 1970, passando pelo programa de eletrificação Clic Rural, nos anos 1980, e chegando aos estudos para implantar uma ferrovia ligando o Porto de Paranaguá a Dourados, no Mato Grosso do Sul, em 2016/17.

Corbellini assume a área técnica da Itaipu com a responsabilidade de manter o alto desempenho da usina que, em 2016, estabeleceu uma nova marca mundial na produção de energia, com 103 milhões de Megawatts-hora gerados no ano. A hidrelétrica segue com a produção em alta. Depois de encerrar seu melhor dezembro, gerou nestes primeiros oito dias do ano 8% a mais do que no mesmo período no ano passado.

Além de manter a produtividade, Corbellini terá pela frente o desafio de dar início ao processo de atualização tecnológica das unidades geradoras, com investimento de US$ 500 milhões, previsto para começar neste ano. Em seu discurso de posse, o engenheiro destacou outros projetos, como a reforma do Edifício da Produção, a atualização das pontes rolantes e pórticos (utilizados para a locomoção de equipamentos na usina) e a reforma do Canal da Piracema, obra que permite aos peixes migratórios transporem a barragem.

“O setor elétrico vem enfrentando enormes desafios. Vejo com importância nossa participação (da Itaipu) na construção de um setor elétrico mais dinâmico e aberto, no qual possamos garantir o retorno de grandes investimentos”, afirmou Corbellini.

O decreto de nomeação de Corbellini, com mandato válido até 16 de maio de 2022, também levou a assinatura do ministro Fernando Coelho Filho. Durante a cerimônia de posse, o ministro destacou que, desde o início do governo Temer, pela primeira vez, a diretoria e o conselho de Itaipu estão completos. Em sua fala, o ministro também enfatizou o bom momento vivido pelo setor, com a retomada de investimentos e boas perspectivas para este ano.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, Luiz Fernando Vianna, que já trabalhou com Corbellini na Copel e vinha acumulando a diretoria técnica da binacional desde março do ano passado, falou sobre a expectativa da empresa para 2018. “Além de manter a excelência na geração de energia, estamos ampliando nossa área de atuação de 29 para 54 municípios do Oeste do Paraná”, apontou Vianna.

A vice-governadora Cida Borghetti enalteceu a nomeação de Corbellini que, segundo ela, tem uma trajetória profissional “marcada pela competência, doação e amor”. “É uma pessoa que certamente vai se somar à atuação dos demais diretores de Itaipu”, afirmou ela, que representou o governador Beto Richa na cerimônia.

Quem é Mauro Corbellini

Mauro José Corbellini, 73 anos, é engenheiro eletricista, formado em 1967 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Versátil, fez parte da equipe que trabalhou na implantação do sistema de telecomunicações da Telepar, no início da década de 1970; trabalhou em projetos de diversas grandes usinas do Paraná; e foi um dos pioneiros nos estudos para a interligação do sistema elétrico brasileiro, após ter se especializado nos Estados Unidos em estudos de load-flow (análise numérica da energia que circula em um sistema interligado).

Trabalhou no Banco Mundial, desenvolvendo projetos em todas as regiões do Brasil; e com a Organização dos Estados Americanos, em um projeto de preservação de bacias hidrográficas. Aposentou-se em 1997, mas continuou trabalhando – acompanhou a construção da fábrica da Renault no Paraná e de diversas outras montadoras em outros estados do País. Antes de assumir a nova função, Corbellini estava à frente da Coordenadoria de Mudanças Climáticas da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema). (Fonte: Imprensa Itaipu)




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box