domingo, 20 de outubro de 2019


Qui, 25 de Janeiro de 2018 12:18

Deonilson Roldo, a eminência parda do Governo Richa

Beto e Deo em visita ao jornal Gazeta do Povo Beto e Deo em visita ao jornal Gazeta do Povo


O colunista político Rogério Galindo, da Gazeta do Povo, escreveu, há mais de três anos, que Deonilson Roldo era a eminência parda do Governo Beto Richa e justificou afirmando que Deo “é um dos três principais conselheiros que o governador mais ouve antes de tomar decisões” no âmbito político da administração. Correta a afirmação, mas descoberta com atraso; muito antes de 2014 esse assessor já exercia influência e poder de decisão junto a Richa.

É sabido que a carreira política de Beto deslanchou mesmo depois de haver conhecido Roldo e incluído como assessor e membro de seu governo. E os fatos comprovam que a perspicácia e a visão política de Deo exerceram (e ainda exercem) papel relevante na carreira de Beto, que em 1992 não conseguiu se eleger vereador em Curitiba. Dois anos depois foi eleito deputado estadual. Na Assembleia Legislativa teve contato com Deonilson Roldo, que era funcionário da Assessoria de Imprensa da Casa. Depois disso foi vice-prefeito de Curitiba e deslanchou em cargos do executivo.

Em 2002, por inspiração de Roldo, Beto seria lançado candidato ao governo do Estado. O diretor e editor da Revista Panorama, Newton Dalla Bona, relata que ponderou que seria uma precipitação a candidatura, ainda era cedo. Deo teria dito que era a hora, uma estratégia de marketing para conquistar maior visibilidade, espaço na mídia e aproximação com o eleitorado e que a vitória seria apenas um ganho a mais, se viesse. A revista apoiou a candidatura, como havia apoiado campanhas anteriores por identificação com o ideário programático de Richa, e continuou participativa nas eleições seguintes.

“A revista e posteriormente também o site Panorama continuaram apoiando o governo sem auferir nenhuma vantagem a não ser o ideal de colaborar com a administração e desenvolvimento do Paraná”, declarou Dalla Bona.

A vitória de fato não veio, em 2002, porém, em 2004 Beto Richa se elegeu prefeito da Capital derrotando o PT, tido como o partido favorito. O mandato foi repleto de êxitos e realizações que o prefeito estava com aprovação popular jamais registrada, com picos superiores a 70%. Em 2008 Beto foi reeleito no primeiro turno com mais de 77% dos votos, 59% acima do segundo colocado.

Para Deonilson Roldo,  chegara então a hora da candidatura ao Palácio Iguaçu pra valer. Em outubro de 2010 Beto Richa elegeu-se governador no primeiro turno e em 2014 foi reeleito com mais de 3 milhões e 300 mil votos, derrotando o mito Requião.

Dalla Bona (da revista Panorama) recorda que Deonilson Roldo acompanha Beto Richa desde a Prefeitura, tendo também chefiado a Comunicação no Governo Lerner. Com Richa dirigiu a Comunicação Social e exerce a chefia de Gabinete do Governador, função que desde março de 2017 acumula com o cargo de Secretário da Comunicação Social.

Roldo, conselheiro de Richa

Ao prestar este depoimento ao site, Newton Dallabona disse que a história continuará com mais dois ‘capitulos’, no sábado (27) e na terça-feira (30)...




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães