terça, 11 de dezembro de 2018


Sex, 13 de Abril de 2018 19:28

Blog do Cícero Cattani: Por conta da PR-323, Richa pode cair na Vara de Moro



– As decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de encaminhar processos de caixa 2 para a Justiça Eleitoral indicam que a delação da Odebrecht, vista inicialmente como uma hecatombe entre os políticos, pode ser esvaziada quando fora do escopo de investigações da Lava-Jato. Pelo menos 20 dos 84 pedidos de inquérito feitos pela Procuradoria-Geral da República com base nas delações da empreiteira relatam doações a campanhas não registradas na Justiça Eleitoral. São casos em que o político citado não ofereceu, de imediato, alguma obra ou contrato em troca de vantagens indevidas. (Estadão)


O que não seria o caso de Beto Richa: o ex-presidente de Infraestrutura da Odebrecht Benedicto Júnior relatou no âmbito da Lava Jato que a empreiteira doou R$ 2,5 milhões sem registros oficiais. Em troca, a empresa ainda planejava abater tal montante do projeto de duplicação da PR-323, rodovia do Noroeste do Paraná.

Por ora, o ex-governador candidato ao Senado vai responder na primeira instância por,  quando ainda era prefeito de Curitiba, ter empregado recursos do Fundo Nacional de Saúde em desacordo com os planos originais. Atualmente, há ao menos quatro processos em trâmite no STJ e que envolvem Beto Richa

No caso do inquérito da Odebrecht, que em Brasília está nas mãos da PGR e do ministro do STJ Og Fernandes, é possível que a investigação passe a ser feita pelo Ministério Público Federal (MPF) no Paraná, sob o guarda-chuva da 13ª Vara Criminal de Curitiba, do juiz federal Sergio Moro, em função da conexão com a Operação Lava Jato.




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box