Seg, 16 de Abril de 2018 13:01

Corrida eleitoral tem esquerda dividida e Bolsonaro em situação delicada


 A 174 dias do primeiro turno da eleição presidencial, os partidos de centro e seus pré-candidatos vão esperar mais um pouco antes de unir forças com vistas a ampliar as chances. No campo dos partidos com viés de esquerda, quem está um pouco à frente dos demais se dá ao luxo de dispensar qualquer posto de vice. Marina Silva (Rede), por exemplo, maior beneficiada dos votos de Lula, segundo pesquisa Datafolha divulgada ontem, dispensa o apoio do PT: “Não temos afinidade programática. Nossa visão de democracia e sobre o papel da Lava-Jato nos separa”, diz o porta-voz nacional da Rede, Pedro Ivo.

 Da parte do PT, a candidatura de Lula continua posta, embora tenha reduzido o número de eleitores que confiam na inclusão do ex-presidente no rol de candidatos, segundo a pesquisa. Ciro Gomes, do PDT, também não quer saber da vaga de vice. Logo, as esquerdas vão seguir separadas eleitoralmente. “Lula é o nosso candidato e esperamos que essa sentença mequetrefe seja modificada ali na frente”, diz o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). (Por Denise Rothenburg/Correio Braziliense)




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box