domingo, 21 de outubro de 2018


Ter, 22 de Maio de 2018 22:19

Antigo presídio do Ahú, em Curitiba, é transformado em centro judiciário

Inda bem que não foi em museu ou casa de cultura... Inda bem que não foi em museu ou casa de cultura...


O antigo presídio do Ahú, em Curitiba, desativado em 2006, é aos poucos transformado no Centro Judiciário de Curitiba.

A mudança já começou: depois da realocação da Central de Custódia e do Plantão Judiciário, desde a sexta-feira (18), a transferência das 3ª e 4ª Varas Criminais é feita a partir desta terça-feira (22).

A previsão é de que a primeira etapa da construção seja entregue em julho, com 26.293,31m² de área construída e dois prédios (para o Fórum Criminal e os Juizados Especiais), de acordo com o Tribunal de Justiça do Paraná.

No primeiro edifício, destinado ao Fórum Criminal, ficarão:

  • As 13 Varas Criminais da capital;
  • Central de Custódia;
  • Plantão Judiciário;
  • 1ª e 2ª Varas de Execução das Penas;
  • Medidas Alternativas (VEPMA);
  • 1ª e 2ª Varas de Delito de Trânsito;
  • Vara de Auditoria da Justiça Militar.

O segundo prédio, onde efetivamente ficava o presídio, abrigará os Juizados Especiais de Curitiba. Ainda não há previsão para a mudança específica destes juizados.

OAB, MP e Defensoria Pública

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PR), Ministério Público do Paraná (MP-PR) e Defensoria Pública também terão espaços próprios no Centro Judiciário.

Segundo o TJ-PR, OAB e Defensoria contarão com instalações nos dois edifícios (Juizado e Fórum Criminal).

O MP terá gabinetes distribuídos nas Varas Criminais para os Promotores, com secretaria própria no pavimento térreo do Fórum Criminal. No prédio dos Juizados, os promotores terão gabinetes concentrados em uma ala da edificação.

Também está no projeto um local específico para a Comissão da Verdade do Paraná, que investiga graves violações de direitos humanos no estado entre 18 de setembro de 1946 a 5 de outubro de 1988, para exposição permanente de elementos retirados do antigo presídio.

Segunda etapa

O projeto é para que, em poucos anos, todo o 1º grau de jurisdição da capital paranaense, com exceção dos fóruns descentralizados, esteja no complexo. Para isso, outros três edifícios serão construídos em uma área de aproximadamente 110 mil m².

O TJ afirma que o contrato para a elaboração dos projetos complementares (elétrico, hidráulica e estrutural) para a segunda fase do Centro Judiciário já foi assinado pelo presidente do Tribunal, o desembargador Renato Braga Bettega. No entanto, ainda não há previsão para a entrega desta parte do Centro. (Do G1/PR)





Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box