quarta, 20 de fevereiro de 2019


Qui, 05 de Julho de 2018 18:45

Boas notícias para o pessoal do busão na RMC


O convênio para o repasse de R$ 71 milhões, assinado pela governadora Cida Borghetti e o vice-prefeito Eduardo Pimentel, nesta quinta-feira (5/7), permitirá o desenvolvimento de estudos conjuntos da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) para viabilizar projetos que ampliem a integração.

O repasse garante o equilíbrio da tarifa ao passageiro e a manutenção da integração das linhas metropolitanas à capital. “Como diz o prefeito Rafael Greca, Curitiba é uma só, e esse convênio permitirá que a tarifa fique congelada e em contrapartida beneficie e modernize o sistema de toda nossa Grande Curitiba”, disse a governadora.

A Rede Integrada de Transporte (RIT) de Curitiba poderá ter até 20 novas conexões metropolitanas, com a possibilidade de linhas de cidades vizinhas utilizarem os corredores de transporte dos eixos estruturais e também a Linha Verde.

O recurso virá parcelado, até o fim do ano. No mesmo prazo deverão estar prontos os estudos para a ampliação das linhas com a RMC. “É um ato grandioso esse da governadora, que ajudará a manter a tarifa equilibrada em Curitiba, na renovação da frota e também a integração com os municípios vizinhos”, destacou o Pimentel.

Serão feitos estudos de viabilidade de conexões viárias e novas linhas de integração com terminais nos municípios de Piraquara, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Quitandinha, Campo Largo, Colombo,  Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul e Araucária.

Hoje o transporte metropolitano atende diariamente a 205 mil pessoas em 19 municípios da Grande Curitiba, sendo que 73% dessa demanda utilizam a RIT, que atende a 14 municípios vizinhos à capital. Cerca de 450 mil passageiros, considerando os pagantes e isentos, são transportados diariamente pela Rede Integrada de Transporte, entre ida e volta.

Além do presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto e do presidente da Comec, Louvanir Menegusso, participaram do evento deputados estaduais, prefeitos de várias cidades paranaenses, os secretários municipais do Governo, Luiz Fernando Jamur; das Finanças, Vitor Puppi, aprocuradora do Município, Vanessa Volpi e os vereadores Pier Petruzziello e Geovane Fernandez.

Serão objetos de estudo para ampliar a integração metropolitana do transporte as seguintes conexões:

Linha Piraquara-Curitiba (já em operação): Com saída do Terminal Piraquara, via Rodovia João Leopoldo Jacomel e Avenida Victor Ferreira do Amaral operação com ônibus articulados com ponto final na Praça Santos Andrade.

Expresso São José via Boqueirão: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Urbano de São José dos Pinhais que seguirá pela canaleta já existente naquele município e posteriormente pelo eixo da Avenida Marechal Floriano Peixoto. A linha poderá utilizar a infraestrutura dos Terminais Boqueirão, Hauer e Carmo, bem como estações-tubo ao longo do itinerário, já em funcionamento, com ponto final na Praça Carlos Gomes.

Expresso Fazenda via Pinheirinho: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Fazenda Rio Grande com itinerário pela BR 116 e utilização da infraestrutura da canaleta Sul e dos Terminais Pinheirinho, Capão Raso e Portão com ponto final na Praça Rui Barbosa e/ou Terminal Central de Curitiba.

Expresso Fazenda via Linha Verde: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Fazenda Rio Grande seguindo pela BR 116 utilizando a infraestrutura da Linha Verde e da canaleta da Avenida Marechal Floriano Peixoto com ponto final na Praça Carlos Gomes. Entre os Terminais Fazenda Rio Grande e CIC os usuários continuarão a ser atendidos pela linha alimentadora existente.

Linha Mandirituba - Fazenda Rio Grande: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação de Mandirituba e Fazenda Rio Grande por linhas linhas locais, diretas e alimentadoras.

Linha Quitandinha - Fazenda Rio Grande: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação dos Municípios de Quitandinha e Fazenda Rio Grande por linhas locais, diretas e alimentadoras.

Expresso Campo Largo: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Urbano de Campo Largo com itinerário pela BR 277 até Curitiba, utilizando as ruas Major Heitor Guimarães, Monsenhor Ivo Zanlorenzi, General Mário Tourinho para acessar o Terminal Campina do Siqueira e a partir deste, utilizar toda infraestrutura do eixo Oeste-Leste com ponto final na Praça Rui Barbosa.

Linha Guaraituba - Maracanã: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação dos terminais Guaraituba e Maracanã com linhas locais, diretas e alimentadoras.

Expresso Maracanã: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Maracanã e itinerário pela Estrada da Ribeira e Linha Verde Norte (via Atuba) com a utilização da canaleta da Avenida Presidente Affonso Camargo eponto final na Praça Rui Barbosa.

Expresso Maracanã via Mascarenhas: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a uma linha com saída do Terminal Maracanã e ligação via Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, utilizando faixas exclusivas para ônibus, passando pelo Terminal Santa Cândida com utilização da canaleta exclusiva da estrutural Norte (Av. Paraná e Av. João Gualberto) com ponto final na Praça Rui Barbosa.

Linha Bocaiúva – Maracanã: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação dos terminais de Bocaíuva do Sul e Maracanã por linhas diretas e/ou alimentadoras.

Linha Quatro Barras - Jardim Paulista: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação dos terminais Quatro Barras e Jardim Paulista por linhas locais, diretas e alimentadoras.

Linha Campina Grande - Jardim Paulista: Estudos de viabilidade financeira e operacional para a ligação do terminal de Campina Grande do Sul e o Jardim Paulista por linhas locais, diretas e alimentadoras.

Expresso Campina Grande via Linha Verde: Estudos de viabilidade financeira e operacional para uma linha com saída do Terminal Jardim Paulista com itinerário pela Rodovia Régis Bittencourt (BR 116), seguindo pela Linha Verde via Atuba e posterior utilização da cana