domingo, 21 de outubro de 2018


Qui, 09 de Agosto de 2018 11:34

Lava Jato devolve R$ 1 bilhão histórico para a Petrobras

A prova... A prova...


Devolução de recursos é recorde para estatal petrolífera golpeada por esquema de cartel e corrupção entre 2004 e 2014

O Ministério Público Federal no Paraná realizou nesta quinta, 9,  uma nova rodada de devolução de recursos para a Petrobrás, recuperados por meio de acordos de delação premiada e de leniência celebrados na Operação Lava Jato. Este é um valor recorde, o maior já devolvido em uma investigação criminal no País, R$ 1,034 bilhão.

A Lava Jato já promoveu outras devoluções milionárias à Petrobrás, mas nenhuma se aproximou do marco histórico que ultrapassa a casa do R$ 1 bilhão.

Um reembolso, em novembro de 2016, foi no valor de R$ 204,2 milhões, outro, em dezembro de 2017, no montante de R$ 653,9 milhões.

A primeira devolução ocorreu no dia 11 de maio de 2015, quando, na sede da Procuradoria-Geral da República, foram devolvidos à estatal R$ 157 milhões recuperados por meio de acordo de colaboração celebrado com o ex-gerente da área de Serviços da Petrobrás Pedro Barusco.

A segunda entrega de valores ocorreu no dia 31 de julho daquele ano. Na ocasião, retornaram aos cofres da estatal petrolífera R$ 139 milhões, sendo R$ 70 milhões que haviam sido desviados pelo ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, e outros R$ 69 milhões de Barusco relacionados à sua atuação em contratos que envolveram fornecedora de navios-plataforma.

O valor que supera a barreira de R$ 1 bilhão, anunciado nesta quinta, 9, representa o recorde na grande ofensiva da Procuradoria em reaver para os cofres da Petrobrás o dano formado em longos anos de atuação do cartel de empreiteiras e pela exploração política que atingiu diretorias estratégicas da companhia.

A nova soma de R$ 1,034 bilhão tem origem em recursos devolvidos por investigados em acordos firmados com a força-tarefa da Lava Jato – uma parte relativa à delação premiada de executivos de empreiteiras e outra referente a ajustes de leniência com as próprias empresas.

Do evento desta quinta, no auditório do Ministério Público Federal em Curitiba, participaram o presidente da Petrobrás, Ivan Monteiro, procuradores da Lava Jato e outras autoridades. (Conteúdo Estadão)





Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box