quarta, 19 de dezembro de 2018


Ter, 02 de Outubro de 2018 22:33

Aplicativo inédito inova acionamento de emergência da Polícia Militar em Curitiba e RMC


O cidadão da grande Curitiba passa a ter um novo canal de acionamento da Polícia Militar para os casos de emergência, em complemento ao telefone gratuito 190: trata-se do aplicativo APP 190, cuja plataforma está disponibilizada desde as 13h desta terça-feira (02/10) ao Google Play, que definirá o horário de disponibilização ao cidadão. O aplicativo foi lançado oficialmente nessa terça-feira (02/10) no Palácio Iguaçu e abrangerá a Capital e as cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), atendendo cerca de 3,2 milhões de pessoas.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, delegado Julio Reis, a plataforma inclui um público diversificado que permitirá o atendimento mais célere de quem mais precisa. “A Polícia Militar está inovando com a criação dessa tecnologia, algo sem precedentes no Paraná e no Brasil, que permitirá que qualquer pessoa com um smartphone possa solicitar uma equipe policial”, explica. “Este é um passo muito importante dado na segurança pública, principalmente pela inclusão das pessoas portadoras de necessidades especiais, mas, também, pelo avanço no atendimento das emergências policiais”, completa.

“Temos buscado alternativas para melhorar a prestação de serviço à comunidade e esse é o objetivo primordial da Polícia Militar. Foram feitos testes e ao longo desse período o COPOM faz um trabalho excepcional, com atendimento telefônico até o segundo toque. É um avanço e esse aplicativo poderá agregar novos serviços para aperfeiçoar ainda mais o atendimento ao cidadão. Esse sistema será ampliado e melhorado ao longo do tempo, pois as necessidades vão surgindo ao passo da evolução da cultura da sociedade”, disse a Comandante-Geral da PM, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha.

“A PM está evoluindo junto com a tecnologia, pois hoje poucas pessoas usam ligação telefônica, a maioria se comunica por meio de aplicativos para envio de mensagens instantâneas de voz e de dados. A PM vem se atualizando para acompanhar a evolução da sociedade. Este aplicativo possibilita a inclusão de grupos até então excluídos de acessos ao atendimento de emergência da PM [surdos-mudos], possibilita a inserção de fotos e vídeos na plataforma e permite transparência com feedback ao usuário [retorno do andamento da ocorrência até a finalização dela]”, destaca o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias.

A ferramenta foi idealizada pela PM e o projeto recebeu apoio técnico da Companhia Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (CELEPAR), em conjunto com a Diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Qualidade (DDTQ) da PM, do Centro de Operações Policiais Militares (COPOM) e da Diretoria de Pessoal (DP) da Corporação. Durante aproximadamente um ano o aplicativo foi projetado e passou por testes e modificações para ser lançado oficialmente e ficar disponível para o uso.

“Hoje é praticamente impossível fazermos uma gestão publica eficiente sem jogar uma dosagem de tecnologia. E ai entre a CELEPAR que desenvolve soluções ao Estado e à população paranaense como esse aplicativo lançado hoje”, disse o Diretor Presidente da CELEPAR, Tiago Waterkemper.

De acordo com o integrante do COPOM e do grupo que desenvolveu o aplicativo, capitão Claudio Prus, as pessoas poderão baixar o aplicativo gratuitamente em seus celulares, desde que tenham o sistema operacional Android. Após baixar o aplicativo, o usuário fará um cadastro rápido no portal Governo Digital, com informações pessoais (nome completo, RG, CPF, e-mail) e a partir daí será criado um perfil que armazenará todo o histórico de solicitações e atividades.

“O aplicativo é voltado para situações em caráter preventivo e repressivo de emergência: na área preventiva o usuário poderá acionar a PM para policiamento presença e verificação de denúncias, por exemplo, quando a pessoa percebe alguém com comportamento suspeito. Também é possível que o cidadão solicite uma equipe policial em situações de flagrante delito, ou imediatamente após o fato”, explicou o capitão.

A pessoa poderá solicitar atendimento em situações de perturbação de sossego, violência doméstica, acidentes de trânsito (com ou sem vítimas), brigas, rixas, tumultos, roubos e furtos, ou seja, na maioria dos delitos mais atendidos pelas equipes nas ruas. “Para cada natureza de crime há um questionário específico para o solicitante repassar a maior quantidade de detalhes possível do fato”, disse Prus. Para a perturbação do sossego por exemplo, haverá o botão do pânico. As mulheres podem postar a foto da medida protetiva e terão prioridade no atendimento.

“Esse aplicativo é um legado para o estado do Paraná, um avanço significativo na prestação de serviço de emergência em segurança pública ao cidadão. O Governo Digital é o que existe de mais avançado no Brasil e cada dia temos adicionadas soluções para melhor o atendimento as pessoas”, disse o secretário da Casa Civil, Silvio Barros.

Além de responder as perguntas solicitadas no aplicativo, o solicitante poderá fotos e até vídeos da situação pela própria plataforma para auxiliar o operador a compreender a necessidade do envio de uma equipe policial para o local. O sistema suporta vídeos de até 10 segundos de duração.

Ao final da solicitação o usuário receberá um número de ocorrência e poderá acompanhar o andamento do pedido. Caso haja necessidade, o operador policial militar poderá entrar em contato com o cidadão via chat para obter mais informações. Cada atualização do status da ocorrência poderá ser acompanhada pelo usuário, e ao final do atendimento poderá avaliar o serviço prestado.

Após a análise do pedido pelo operador, a solicitação pode ser repassada para que a equipe mais próxima faça o atendimento, ou serão prestadas as orientações necessárias para que o usuário adote o procedimento adequado. “O aplicativo é de caráter emergencial, então as ocorrências cadastradas serão as que estiverem em andamento, ou instantes depois de ocorrerem, caso contrário deverão ser repassadas aos devidos órgãos”, acrescentou o capitão.

INCLUSÃO – A ferramenta possibilitará ainda que pessoas surdas e/ou mudas também solicitem atendimento de emergência pelo aplicativo. “A linguagem é totalmente prática e o usuário poderá fazer o pedido com o apoio de um avatar que indicará o passo a passo para o envio da solicitação à Polícia Militar”, explicou o capitão Pruss. Estima-se que um público de cerca de 90 mil pessoas que possuem alguma deficiência auditiva ou da fala possam ser beneficiadas com o aplicativo.

“O que está sendo feito hoje aqui é dar oportunidade para todos, pois perante a Constituição e Deus somos iguais. Então o meu agradecimento, fico muito feliz, é um presente para a nossa área, a Secretaria Especial dos Direitos das Pessoas com Deficiência, e pode ter certeza que vamos espalhar a notícia sobre esse aplicativo”, disse o secretário para Assuntos Estratégicos, José Maria Alves Pereira. (Com informações da AEN e Bem Paraná)




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box