Qua, 17 de Outubro de 2018 19:43

Ratinho visita Bolsonaro e Onix no Rio

Ratinho, Bolsonaro e Onix Lorenzoni Ratinho, Bolsonaro e Onix Lorenzoni


Ratinho Junior (PSD) viajou ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira (17) para visitar o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) e combinar como se dará sua atuação de apoio na campanha presidencial. A visita ocorreu na casa de Bolsonaro, por volta das 15 horas, na Barra da Tijuca, na zona oeste carioca.

Ratinho Junior disse durante a manhã que está à disposição do presidenciável do PSL, que já havia declarado simpatia a Ratinho Jr no primeiro turno. O governador eleito retribuiu o apoio logo após o resultado das urnas no dia 7 de outubro. Antes disso, dizia apoiar o candidato derrotado Alvaro Dias (PODE) à presidência, apesar de seu partido, o PSD, compor aliança como o PSDB do também candidato derrotado Geraldo Alckmin.

“No que ele entender que a gente possa colaborar mais. Me coloquei à disposição, inclusive, para a gente fazer um grande encontro com os prefeitos do Paraná. Ele está dependendo de alta médica, parece que na segunda-feira ele vai saber se pode fazer campanha em viagens e atos políticos. Nossa postura, nosso compromisso e decisão é de apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro”, disse Ratinho Jr.

O encontro citado por Ratinho Jr é organizado pelo coordenador da campanha de Bolsonaro no Paraná, deputado estadual eleito Fernando Francischini (PSL). O ato, marcado para  terça-feira, dia 23 de outubro, em Curitiba, deve contar além de prefeitos e apoiadores, com deputados estaduais e federais eleitos. O local exato do encontro, que seria no Restaurante Madalosso, ainda não está confirmado.

De acordo com a assessoria, no encontro na tarde desta quarta, o governador eleito pediu maior atenção ao Estado. Um dos pontos de destaque na conversa foi a consolidação de uma nova política de segurança na região de fronteira do Paraná com o Paraguai e Argentina. Também estava presente no encontro o deputado federal Onix Lorenzoni (DEM) que deve ser o ministro chefe da Casa Civil em um eventual governo de Bolsonaro.


Voltar ao Topo