segunda, 17 de dezembro de 2018


Seg, 19 de Novembro de 2018 19:23

Cida deixa governo com dinheiro em caixa para Ratinh

(Foto: Francklin Freitas/Bem Paraná) (Foto: Francklin Freitas/Bem Paraná)

o


Na primeira reunião da transição, hoje, no Palácio Iguaçu, a governadora Cida Borghetti (PP) afirmou que entregará o comando do Estado ao governador eleito, Ratinho Júnior (PSD), com R$ 5 bilhões em caixa. Desse total, segundo ela, cerca de R$ 2 bilhões serão de superávit financeiro, ou seja, poderão ser utilizados livremente pela equipe do futuro governo. Segundo a governadora, todas as obras e convênios autorizados estão com recursos garantidos no caixa estadual.

O secretário chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico (PP), que coordena a equipe de transição de Cida confirmou as informações. "A situação é uma situação tranquila. A gente já pode antecipar que o governo estará com um volume de recursos disponíveis em caixa para cumprir todas as obrigações que foram iniciadas, assumidas. Todos os convênios assinados. Todos os compromissos do governo nos últimos quatro anos, inclusive restos a pagar de 2016 que ainda estão em andamento”, garantiu Sperafico, que coordena a equipe de transição de Cida. “Todos (os compromissos) estão previstos no Orçamento deste ano, com certeza, com recursos separados. E também haverá um superávit para que o novo governo inicie com dinheiro em caixa”, assegurou o secretário.

“Do atual governo não temos nenhuma dificuldade de pagar a folha de pagamento, de pagar o décimo-terceiro. Já temos a data programada para o pagamento do décimo-terceiro. Todos os compromissos do atual governo serão cumpridos rigorosamente, sem mexer em absolutamente nada do próximo Orçamento do Estado”, reafirmou Sperafico.

Coordenador da equipe de transição de Ratinho Jr, o deputado federal Reinhold Stephanes (PSD), disse que o objetivo da primeira reunião é “tomar conhecimento da situação financeira do Estado”. “É importante, ele tem os dados, as informações que podem dar uma visão melhor daquilo que a gente já conhece em relação à situação financeira do Estado, do seu orçamento, e vai apresentar, claro, os pontos que são relevantes de um governo que assume. Aquilo que ele tem que tomar conhecimento antes de assumir que são muitas vezes compromissos que se dão logo no início do ano”, disse, sobre a exposição de Bovo.

 

Na primeira reunião da transição, hoje, no Palácio Iguaçu, a governadora Cida Borghetti (PP) afirmou que entregará o comando do Estado ao governador eleito, Ratinho Júnior (PSD), com R$ 5 bilhões em caixa. Desse total, segundo ela, cerca de R$ 2 bilhões serão de superávit financeiro, ou seja, poderão ser utilizados livremente pela equipe do futuro governo. Segundo a governadora, todas as obras e convênios autorizados estão com recursos garantidos no caixa estadual.

 

O secretário chefe da Casa Civil, Dilceu Sperafico (PP), que coordena a equipe de transição de Cida confirmou as informações. "A situação é uma situação tranquila. A gente já pode antecipar que o governo estará com um volume de recursos disponíveis em caixa para cumprir todas as obrigações que foram iniciadas, assumidas. Todos os convênios assinados. Todos os compromissos do governo nos últimos quatro anos, inclusive restos a pagar de 2016 que ainda estão em andamento”, garantiu Sperafico, que coordena a equipe de transição de Cida. “Todos (os compromissos) estão previstos no Orçamento deste ano, com certeza, com recursos separados. E também haverá um superávit para que o novo governo inicie com dinheiro em caixa”, assegurou o secretário.

“Do atual governo não temos nenhuma dificuldade de pagar a folha de pagamento, de pagar o décimo-terceiro. Já temos a data programada para o pagamento do décimo-terceiro. Todos os compromissos do atual governo serão cumpridos rigorosamente, sem mexer em absolutamente nada do próximo Orçamento do Estado”, reafirmou Sperafico.

Coordenador da equipe de transição de Ratinho Jr, o deputado federal Reinhold Stephanes (PSD), disse que o objetivo da primeira reunião é “tomar conhecimento da situação financeira do Estado”. “É importante, ele tem os dados, as informações que podem dar uma visão melhor daquilo que a gente já conhece em relação à situação financeira do Estado, do seu orçamento, e vai apresentar, claro, os pontos que são relevantes de um governo que assume. Aquilo que ele tem que tomar conhecimento antes de assumir que são muitas vezes compromissos que se dão logo no início do ano”, disse, sobre a exposição de Bovo. (Ivan Santos/Política Bem Paraná)




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box