segunda, 17 de dezembro de 2018


Sáb, 24 de Novembro de 2018 10:46

Por isso é difícil ‘limpar’ a política...

Relatório fajuto... Relatório fajuto...


O relator do pedido de cassação contra deputados presos na Lava Jato do Rio, Marcos Muller (PHS), escreveu um relatório de uma página em que pedia a suspensão do processo, apresentado na sexta-feira (23). O documento, rejeitado na sessão do Conselho de Ética, citava apenas Paulo Melo, Edson Albertassi e Jorge Picciani, todos do MDB, presos na Operação Cadeia Velha, e não mencionava os outros deputados presos na Furna da Onça, que também enfrentarão pedido de cassação.

O documento obtido pelo G1 não era conhecido por nenhum dos deputados até o momento da reunião. O relatório tinha a data escrita a caneta - foi feito 6 de junho e só foi apresentado nesta sexta, mais de quatro meses depois.

Ao G1, na semana passada, Muller disse que não havia concluído o relatório.

Muller foi nomeado relator entre março e abril, segundo o presidente do Conselho de Ética, André Lazaroni (MDB). De lá até julho, quando teria sido concluído, se passaram entre 36 e 66 dias. O documento tem uma página e menos de 180 palavras.

O relator, no entanto, faltou à sessão do Conselho de Ética desta sexta, que rejeitou seu relatório.

O grupo acolheu as duas representações apresentadas pelo PSOL, em que pedem a investigação dos presos com a cassação como possível desfecho.

O pedido diz respeito a deputados presos em operações derivadas da Lava Jato, a Cadeia Velha e a Furna da Onça. São eles:

  • Jorge Picciani (MDB)
  • Paulo Melo (MDB)
  • Edson Albertassi (MDB)
  • André Correa (DEM)
  • Chiquinho da Mangueira (PSC)
  • Coronel Jairo (Solidariedade)
  • Luiz Martins (PDT)
  • Marcelo Simão (PP)
  • Marcos Abrahão (Avante)
  • Marcus Vinícius (PTB)

A quadrilha de deputados estaduais do Rio de Janeiro




Twitter - Políticos

Michel Temer


Beto Richa


Rafael Greca


Álvaro Dias


Gleisi Hoffman


Roberto Requião

S5 Box