Seg, 21 de Janeiro de 2019 13:11

Blog diz que Ratinho nomeou diretor da Paraná Previdência sem observar a regra da ‘probidade’


MP de Contas questiona nomeação na Paraná Previdência

O Ministério Público de Contas endereçou correspondência ao vizinho Palácio Iguaçu alertando o governador Ratinho Jr. para “a necessidade de se buscar a probidade como valor para as nomeações que se têm efetuado – sem o que quais esforços pelo aprimoramento da gestão pública paranaense serão inócuos”.

O ofício, assinado pelo procurador-geral Flávio Berti e datado do último dia 10, indica pontualmente um caso que contraria a premissa e que diz respeito à nomeação de Edson Wasem para a Diretoria de Previdência da Paraná Previdência. Segundo o ofício – a cujo teor o Contraponto teve acesso e reproduz abaixo -, o nomeado foi condenado em segunda instância por crime de improbidade administrativa e, portanto, estaria legalmente inabilitado para exercer qualquer cargo público, eletivo ou por nomeação, pelo prazo de cinco anos.

A condenação de Wasem pela 4.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça se deu em maio de 2018. Portanto, há menos de um ano. É como ficou registrado no acórdão referente ao processo 0003405-66.2009.8.16.0112, que julgou Wasem e outros implicados num caso de uso irregular de verbas públicas do município de Marechal Cândido Rondon.

O Ministério Público de Contas manifesta estranheza pela nomeação, pois certamente as dificuldades frequentemente apontadas pelo Tribunal de Contas quanto à situação de desequilíbrio da Paraná Previdência são de pleno conhecimento do governador Ratinho Jr., não sendo de boa prática a indicação para cargos de tal relevância de pessoas que não estejam comprometidas com a probidade.

Por e-mail enviado pela manhã, o Contraponto abriu espaço para pronunciamento do diretor Edson Wasem. Até o momento não teve resposta. (Fonte: Blog Contraponto)




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box