Seg, 04 de Fevereiro de 2019 09:56

ONYX VAI LEVAR MENSAGEM DE BOLSONARO À SESSÃO DE ABERTURA DO ANO LEGISLATIVO

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, levará pessoalmente ao Congresso a mensagem presidencial com os planos para o Executivo em 2019. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da pasta. A leitura do texto não deverá ser feita por Onyx, e sim por algum representante do Legislativo.


A cerimônia ocorre às 15 horas e é o primeiro compromisso dos parlamentares após a votação para as escolhas das Presidências das casas.

Na semana passada, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, adiantou em coletiva de imprensa alguns dos principais pontos que serão destacados no texto, que deve ter foco na reforma da Previdência a ser apresentada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em fevereiro.

"Vamos trabalhar juntos para resgatar o Brasil. Proporemos uma nova Previdência mais humana, mais justa, que não retire direitos e restabeleça o equilíbrio fiscal, que garanta que nossos filhos e netos tenham um futuro assegurado", disse Rêgo Barros na quinta-feira.

A cerimônia em que será lida a mensagem vai ser a primeira a ser conduzida pelo recém-eleito presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Após um tumultuado processo de votação, com direito a discussões acaloradas, intervenção do Supremo Tribunal Federal (STF) e até acusações de fraude, o demista, apoiado especialmente pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, impôs derrota a Renan Calheiros (MDB-AL), que retirou a candidatura e fez torpedos contra aliados do governo. (Julia Lindner)

Derrota de Renan 'vai fazer bem para o país', diz Onyx após eleição no Senado

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, está de alma lavada. Foi derrotado na disputa na Câmara dos Deputados, com a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas comemorou a vitória de Davi Alcolumbre (DEM-AP) no Senado.

Motivo: Davi é uma criação sua, uma candidatura que começou a ser pensada em novembro, em um movimento para barrar a volta de Renan Calheiros (MDB-AL) ao comando do Senado.

Em entrevista ao blog, Onyx Lorenzoni atribui a vitória ao sentimento de mudança pela "nova política" no Senado, assim como aconteceu nas eleições presidenciais. Afirmou que Renan Calheiros – que está na mira de investigações – o chamou para a briga algumas vezes, mas que ele não foi "porque sabe o seu lugar" de ministro. "Se eu fosse deputado, eu já tinha ido", afirmou.

Onyx admite que ajudou Davi, mas nega que o governo tenha interferido com a máquina. "Ganhamos na política. Se Renan tivesse ganhado, ia ser com o PT. Ele não esperava o Davi como candidato, o homem certo na hora certa. Davi tem essa habilidade com os colegas, uma espécie de 'Jair Bolsonaro do Senado'. Ele é um craque das relações, não tem ninguém que não goste dele. Aí, um dia o Davi ganhou do Golias", disse.

O ministro afirma não temer a oposição de Renan, se o emedebista quiser se vingar do governo no plenário, durante votações: "Vamos para o enfrentamento, isso é democracia", disse.

Na avaliação do ministro, ganhou a nova política. "A derrota dele vai fazer bem para o país, ele estava junto ao PT há quanto tempo? Pois bem. O Senado se reencontrou com as ruas", analisou.

Perguntado pelo blog se a concentração de poder do DEM – que agora comanda as duas Casas Legislativas – poderá incomodar aliados e prejudicar o governo, o ministro respondeu: “No caso do Rodrigo Maia, foi maior do que o DEM. Tanto que ele ganhou com votos de esquerda, ele é muito articulado e respeita muitas divergências. Então, tem essa qualidade de conseguir votos de diferentes áreas. Sobre o resto: o MDB comandou o Senado por duas décadas e ninguém falou nada".




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box