quarta, 16 de outubro de 2019


Dom, 17 de Fevereiro de 2019 14:05

Cuidado com o dia de amanhã! Parece que Ratinho não deu muita importância à denúncia de que seu chefe da Casa Civil foi delatado por 100 mil de propina durante campanha de 2014

Rindo à toa Rindo à toa


 O deputado Guto Silva foi alvo de divulgação de depoimento de um delator da Lava Jato de que ele teria recebido “ajuda” de R$ 100 mil da pedageira Econorte para sua campanha de eleição à Assembleia em 2014.

Guto Silva foi eleito deputado estadual duas vezes, com reduto na região de Pato Branco, mas sua presença começou a ser notada nos meios políticos quando trabalhou no gabinete do ex-governador Beto Richa em seu primeiro mandato, a partir de 2011. Eleito em 2014, sua habilidade política logo o levou a ocupar cargo na Mesa Executiva da Assembleia, com livre trânsito e influência no Palácio Iguaçu.

Do mesmo partido em que militava o então deputado Ratinho Jr., o PSC, Guto abraçou a candidatura do correligionário ao governo do estado em 2018 e foi um dos coordenadores mais ativos da campanha vitoriosa já no primeiro turno. Já nos primeiros dias após a eleição, Ratinho anunciou o nome dele para ocupar a chefia da Casa Civil e o designou como seu principal articulador político.

DOS AUTOS DA DELAÇÃO DE NELSON LEAL, EX-DIRETOR DO DER

 Em 2014, Guto Silva foi eleito pelo PSC com 45.313 votos. O parlamentar declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) R$ 255.920,00 em bens.

No ano passado, o deputado foi reeleito com 66.412 votos. Guto Silva declarou R$ 504.387,91 em bens.

 




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box