Sex, 05 de Abril de 2019 20:23

Justiça condena ex-prefeito de Araucária e outras três pessoas por improbidade administrativa

O cabeça da maracutaia O cabeça da maracutaia


Eles também terão que pagar R$ 274,5 mil entre devolução e multas pela contratação do genro do político e de uma amiga da filha.

 O ex-prefeito de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, Rui Sergio Alves de Souza, a filha Fernanda Buffon Alves de Souza, o genro Huill Scheiffer de Faria e a amiga da filha Elaine Fernanda Hefler de Melo foram condenados em ação por ato de improbidade administrativa.

Conforme decisão do juiz substituto André Doi Antunes, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Araucária, da quarta-feira (3), os valores somados de ressarcimento aos cofres públicos e de multas aplicadas aos réus chegam a R$ 274.591,66.

Segundo o despacho, o ex-prefeito, que está preso de 2016, nomeou o genro para o cargo um cargo de assessoria, com salário de R$ 9,1 mil, para beneficiar a filha e o marido, que não chegou a exercer a atividade para a qual foi contratado.

A decisão afirma que a amiga da filha também foi nomeada para um cargo de assessoria, com a mesma remuneração, para que 70% dos vencimentos fossem repassados para a filha do então prefeito. Segundo o juiz, ela também não exerceu as atividades.

Pelos mesmos fatos, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) confirmou, no início de março, a condenação em primeiro grau do ex-prefeito, da filha e do genro dele pela prática dos crimes de peculato e concussão – que é usar o cargo público para exigir vantagem indevida.

O político teve a pena aumentada de 5 anos, 2 meses e 20 dias de prisão para 7 anos, 5 meses e 18 dias de reclusão.

A filha teve a pena fixada em 12 anos, 9 meses e 16 dias, enquanto o genro recebeu pena de 3 anos, 2 meses e 12 dias de reclusão em regime aberto, com substituição de pena de prisão por restritiva de direitos.(Com informações do G1/PR)

Voltar ao Topo