Qua, 15 de Maio de 2019 12:34

‘Gambiarra, chacho’ acadêmico? Brasileira teria falsificado diploma de pós-doutorado em Harvard


A professora Joana D’Arc Félix de Souza, de 55 anos, admite que não realizou um trabalho de pós-doutorado na Universidade Harvard, nos EUA, mas nega que tenha falsificado qualquer documento para atestar a conclusão de um título obtido pela instituição.

“Eu não fui efetivada como aluna da universidade. Não tenho diploma de pós-doutorado, isso é um fato conhecido”, diz.

A declaração acontece em meio à repercussão após reportagem publicada pelo jornal "O Estado de São Paulo", nesta terça-feira (14), que afirma que Joana usou um diploma falso para tentar confirmar a passagem dela pela universidade.

G1 entrou em contato por e-mail com Harvard e aguarda manifestação da instituição sobre o assunto.

Joana ficou conhecida em todo o Brasil pela história de superação. Nascida em Franca (SP), filha de uma dona de casa e de um encarregado de curtume, ela se graduou em química pela Unicamp, onde também concluiu o mestrado e o doutorado.

Nos últimos anos, a pesquisadora recebeu vários prêmios em razão dos trabalhos científicos e sociais desenvolvidos na Etec Carmelino Correa Júnior, em Franca, onde atua desde 1998.

A chegada a uma das universidades mais conceituadas do mundo atraiu mais holofotes para a professora, que, além da pobreza, também enfrentou preconceito por ser negra.

Recentemente, o nome de Joana ganhou evidência após o anúncio da produção de sua cinebiografia, com a participação da atriz Taís Araújo.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box