quinta, 19 de setembro de 2019


Qui, 16 de Maio de 2019 10:34

Vermont, o lugar dos EUA onde procuram-se imigrantes


O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, afirmou recentemente que o país estava "cheio" e, portanto, não era possível permitir a entrada de novos migrantes.

Mas os cidadãos de um Estado americano majoritariamente rural não poderiam discordar mais desta declaração.

Há 40 anos, Curtiss Reed foi a Vermont, no extremo nordeste americano, nas férias para esquiar e ficou preso em uma tempestade. Ele teve que dormir em uma loja da Dunkin Donuts por duas noites até conseguir chegar à casa de um amigo. Com isso, teve muito tempo para apreciar a beleza natural do Estado.

"Passei três semanas esquiando, comendo, bebendo e me convenci de que era um paraíso", diz Reed, que é consultor da Associação para a Igualdade e Diversidade em Vermont.

  • 8 gráficos que mostram quem são os imigrantes que se mudaram para os EUA
    • Mas desde então, Reed testemunhou o fechamento de muitas lojas no centro de cidades de todo o Estado, o aumento dos impostos e a estagnação dos salários.
    • Ele avalia que isso está acontecendo porque historicamente Vermont tentou apenas atrair um único tipo de morador.
    • Homens brancos e heterossexuais
    • "A estratégia de marketing de Vermont por décadas foi atrair homens brancos heterossexuais com renda familiar de US$ 120 mil ou mais, e essa população está encolhendo", diz ele.
    • Embora o presidente Donald Trump tenha dito em visita à fronteira sul dos EUA, no início do mês passado, que "o país está cheio", Reed acredita que, se Vermont quer impulsionar a economia local, precisa atrair mais gente.
    • Mas o Estado tem dois problemas: não tem mão de obra suficiente para ocupar os postos de trabalho já existentes e não sabe como atrair pessoas com perfil demográfico diferente da sua população atual, que é 95% branca.
    • Sob as políticas do governo Trump, cada vez menos refugiados, imigrantes e trabalhadores com vistos temporários entram no Estado.
    • Joan Goldstein, responsável pelo Departamento de Desenvolvimento Econômico de Vermont, diz que há uma corrida em andamento. Segundo ela, vários Estados do país estão competindo para atrair novos moradores.
    • "Eu sei que isso soa muito mercenário, mas estamos em um mercado competitivo", afirma.
    • Ela conta que Vermont implementou uma grande mudança em sua abordagem: em vez de tentar atrair negócios para o Estado, está cortejando agora diretamente as pessoas.
    • "Outros Estados nos perguntaram como fizemos isso, porque também estão interessados ​​no mesmo tipo de tática", revela.
    • "Embora ainda esteja no começo, é provável que se torne uma tendência em breve.
    • Barreiras de imigração
    • Neste ano, Vermont começou a oferecer US$ 10 mil a certos tipos de trabalhadores para se mudarem para partes remotas do Estado.
    • "Houve um grande interesse fora dos EUA com o sucesso publicitário inicial que tivemos", diz Goldstein. "Eu diria que cerca de 25% das pessoas que nos consultam são de outros países."
    • Mas até agora não há nenhum refugiado ou estrangeiro entre as 26 pessoas aprovadas para receber o subsídio.
    • Isso se deve possivelmente a existência de barreiras para imigrantes que querem trabalhar no Estado.
    • Chris Winters, subsecretário de Estado, diz que tem sido difícil para vários profissionais conseguirem validar suas credenciais em Vermont.
    • "Então você começa a manter injustamente as pessoas fora das profissões para as quais estão qualificadas", diz Winters. (Da BBC Mundo)



Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box