Ter, 21 de Maio de 2019 17:09

Curitiba: Famílias em situação de risco vão se mudar para casas seguras no Cajuru


A família do atendente Alexandro da Costa, 20 anos, e da recicladora Dayane dos Santos, 24, está contando os dias para receber as chaves da casa nova. Moradores irregulares da área de preservação do Rio Atuba serão transferidos para 23 novos sobrados construídos pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), na Vila Acrópole, no Cajuru.

“Nós temos dois filhos pequenos e aqui é muito complicado viver com criança. Tem muito mato, sujeira, falta água. Na casa nova vai ser tudo melhor, vamos até comprar móveis novos”, conta Dayane.

O casal mora em uma casa precária de madeira, colada às margens do rio. O novo sobrado já está pronto, resta apenas a ligação de luz por parte da Copel. Após a mudança, a moradia irregular será demolida para evitar uma nova ocupação.

A mudança deve acontecer na próxima semana. “É a garantia de um futuro melhor para nossos filhos. A casa nova vai estar documentada, isso traz segurança para nós, que vamos poder deixar de herança para eles”, diz Alexandro.

Projeto

Com investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e contrapartida da Prefeitura que somados chegam a R$ 19,6 milhões, a intervenção da Cohab na Vila Acrópole beneficiou 1.292 famílias residentes no local.

A construção dos 23 sobrados finaliza o reassentamento de 192 famílias que viviam precariamente – das quais 112 estavam em área de preservação e outras 80 foram relocadas para desadensamento e adequações no sistema viário formado por becos e vielas.

As famílias que estão em locais sem restrições habitacionais foram beneficiadas com obras para melhorar a infraestrutura do local, com a implantação de 4,7 km de pavimentação asfáltica; 9,2 km de redes de drenagem; e 11,3 km de redes de água e esgoto. Também receberão as escrituras de propriedade de seus terrenos.

Os locais desocupados receberam obras de recuperação ambiental, com a implantação de ciclovia, canchas esportivas, plantio de grama e mudas de árvores.

“Este projeto engloba diversas frentes de atuação, pois temos a construção de novas moradias, titulação das famílias, obras de urbanização, trabalho social com os moradores envolvidos e a recuperação ambiental da área degradada”, destaca o presidente da Cohab José Lupion Neto.

Dignidade

Morador local há 15 anos, Roberto Domanski está emocionado com a proximidade do dia da mudança. “Depois de tantos anos de dificuldade é muita emoção ir para um lugar melhor. Aqui já fiquei ilhado três dias por causa dos alagamentos. Finalmente teremos mais dignidade”, comenta.

Segundo ele é o fim de uma preocupação constante. “Nunca mais pretendo me incomodar com moradia. Viver em invasão é duro porque você nunca sabe o que vai acontecer no dia seguinte. Na casa nova espero que até a saúde melhore”, afirma.

Programa

O projeto de urbanização da Vila Acrópole faz parte de um programa maior realizado pela Prefeitura em parceria com o BID – o Pró-Cidades, que totaliza U$ 100 milhões em investimentos.

Foram financiadas 19 obras na cidade, como a revitalização das avenidas Fredolin Wolf e Manoel Ribas, a construção do Moradias Maringá I e II (199 unidades), do Moradias Alamanda (74 unidades), da Rua da Cidadania do Cajuru e dos Clubes da Gente de Santa Felicidade e do Boa Vista e a urbanização e recuperação ambiental das vilas Acrópole e Nori.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box