terça, 10 de dezembro de 2019


Sáb, 31 de Agosto de 2019 16:54

ONGs gastam os milhões destinados à Amazônia com elas mesmas


Salários e despesas administrativas consomem até 90% dos recursos que deviam ir para a Amazônia

Auditoria em 18 contratos com ONGs, no valor de R$252,2 milhões, revela que grande parte desses recursos do Fundo Amazônia acabou no bolso de pessoas ligadas aos projetos. Um caso é exemplar: dos R$14,2 milhões entregues à ONG Imazon, R$12,4 milhões (87% do total) foram pagos a seus próprios integrantes. “Consultorias” etc. levaram R$3,7 milhões (26,5%). O caso está entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU), que já definiu relator: o ministro Vital do Rêgo. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O objeto do projeto de R$14,2 milhões da Imazon sugere enrolação: “Apoiar a adequação ambiental de imóveis rurais na Amazônia Legal”.

A ONG Imazon faturou R$36,6 milhões em três contratos com o Fundo Amazônia. E o BNDES liberou dinheiro sem prestação de contas.

A Imazon recebeu R$9,7 milhões para “contribuir” na “mobilização de atores locais”, blábláblá, torrando 85% do total em custeio e pessoal.

Solicitada a explicar gastos tão significativos com seu próprio pessoal, a Imazon não explicou a proporção dos gastos, mas enviou nota afirmando que “os recursos foram utilizados para contratar técnicos e pesquisadores experientes em suas áreas de atuação” e que “todas as contas foram aprovadas pelo BNDES, pelo Tribunal de Contas da União e por auditorias independentes de padrão internacional”.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box