domingo, 23 de fevereiro de 2020


Sex, 04 de Janeiro de 2013 13:19

Primeira reunião do Secretariado foi ‘muro de lamentações’


Bem ao estilo petista, que deve imperar na administração pedetista, a reunião do Secretariado transformou-se em queixumes, reclamações e revelação de suposta ‘herança maldita’. Quem ganhou prometendo resolver problemas deve resolvê-los e não lamentá-los.

 

Em seus dois primeiros dias, a gestão do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), encontrou um montante de R$ 330 milhões em restos a pagar deixados pela administração anterior. O valor foi apresentado na manhã desta sexta-feira (4), durante a primeira reunião do secretariado, realizada no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). Segundo o prefeito, R$ 230 milhões desse total não foram empenhados no orçamento de 2013.

Os pagamentos em aberto abrangem serviços como limpeza, alimentação e poda de árvores, entre outros. Algumas empresas não recebem há dez meses e, por conta disso, ameaçam paralisar as atividades. “Há risco de interrupção nos serviços, mas não vamos permitir que isso aconteça. Se necessário, vamos realizar contratações emergenciais”, assegurou Fruet. Um comitê financeiro, formado por representantes das secretarias de Finanças e Planejamento, foi montado para reavaliar todos os contratos.

Ainda durante a reunião, Fruet informou que pretende constituir um grupo de gestão, ligado diretamente ao gabinete do prefeito, que deverá apresentar continuamente informações detalhadas de cada secretaria. “Na saúde, por exemplo, vamos saber como está funcionando cada unidade de saúde, qual o tempo de atendimento e o volume de pessoas atendidas”, informou.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box