sexta, 28 de fevereiro de 2020


Sex, 04 de Janeiro de 2013 21:20

Justiça decreta prisão preventiva de vereadora suspeita de simular sequestro



O juiz de plantão da Comarca de Ponta Grossa emitiu, na tarde desta sexta-feira (4), um pedido de prisão preventiva da vereadora Ana Maria Branco de Holleben (PT). Ela é suspeita de simular o próprio sequestro em Ponta Grossa, na última terça-feira (1º), depois da cerimônia de posse dos parlamentares municipais.

Ana Maria estava presa no regime temporário – determinação com duração de cinco dias – desde a última quarta-feira (2). No primeiro dia, ela permaneceu sob escolta policial no Hospital Regional de Ponta Grossa. Nesta quinta-feira (3), a petista foi encaminhada à 13ª Subdivisão Policial do município, onde permaneceu em uma sala porque, segundo a polícia, inspira cuidados de saúde.

A previsão de detenção em modalidade diferenciada está prevista no Código de Processo Penal, no artigo 295, que diz que pessoas de diversos cargos públicos, entre eles vereadores, serão encaminhadas a quartéis ou celas especiais quando sujeitas à prisão antes de condenação definitiva.

Os outros três presos como suspeitos de envolvimento no caso também tiveram seus pedidos de prisão prorrogados. Eles mantiveram, no entanto, a prisão temporária. A validade da detenção é de mais cinco dias para o trio formado pelo motorista da petista, Idalécio Valverde da Silva, sua mulher, Suzicleia Valverde da SilvaAdalto Valverde da Silva, irmão de Idalécio.

Reginaldo do Nascimento, que foi citado pelos suspeitos como motorista do Gol branco onde a vereadora foi colocada para simular o sequestro, é considerado como foragido pela polícia.




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box