sábado, 22 de fevereiro de 2020


Seg, 07 de Janeiro de 2013 10:51

Suspeitos de envolvimento em 'sequestro' de vereadora são soltos



Os três suspeitos de participar do suposto sequestro da vereadora de Ponta Grossa, Professora Ana Maria (PT), que estavam presos, foram soltos no primeiro minuto desta segunda-feira (7). Eles estavam detidos no Mini Presidio Hildebrando do Souza.

De acordo com o delegado Josimar Silva, venceu o prazo de cinco dias da prisão temporária e, como não havia pedido para a prisão preventiva, eles foram liberados.  Agora, apenas a vereadora segue detida.

O delegado explicou que não é imposta nenhuma restrição aos suspeitos. Eles só devem atender aos chamados policiais ou judiciais, caso ocorram.

Ana Maria, foi eleita para o terceiro mandato nas eleições de outubro de 2012, sumiu na terça-feira (1º) depois de sair do Cine Teatro Ópera, onde foi realizada a cerimônia de posse dos vereadores, prefeito e vice-prefeito eleitos. Do teatro, ela deveria ter ido para a Câmara Municipal para participar da eleição da Mesa Diretora, mas não apareceu.

De acordo com a polícia, a vereadora forjou o próprio sequestro para não participar da votação. O motivo exato ainda é desconhecido, já que ela recorreu ao direito de se manifestar apenas em juízo. Além de Ana Maria, outras quatro pessoas são suspeitas de envolvimento na fraude. Os suspeitos devem responder pelos crimes de formação de quadrilha, fraude processual e falsa comunicação de crime.

Diretório recomenda afastamento de vereadora
O diretório estadual do PT sugeriu que a vereadora se licencie da legenda e também do mandato. O presidente, Enio Verri, afirmou ao G1 que, na avaliação dele, cabe a expulsão da parlamentar. “Não posso pré-julgar, mas, pelo o que está na imprensa, cabe a expulsão dela do partido, sim”.

A princípio, a decisão cabe ao diretório municipal que é presidido pelo primo da vereadora, deputado Péricles de Mello. Em nota oficial, a Executiva informou que o caso será analisado pela Comissão de Ética e Disciplina.

“Os filiados serão ouvidos com a máxima urgência, dando a eles a oportunidade de apresentar sua defesa. Conjuntamente serão analisados com rigor os fatos levantados pelo inquérito policial, os desdobramentos jurídicos e as notícias veiculados pela mídia, aplicando-se o que prevê o Estatuto do Partido”, diz trecho da nota. (Do G1/PR)

Advogados de defesa abandonam caso

Os advogados de defesa da vereadora suspeita de ter forjado o próprio sequestro em Ponta Grossa deixaram o caso no último sábado (5). A informação foi confirmada nesta segunda-feira (7) por Fernando Madureira, um dos representantes de Ana Maria Branco de Holleben (PT) . Os advogados não detalharam os motivos, apenas alegaram questões contratuais como causa do rompimento com o atendimento do caso.

Ana Maria permanece presa no quartel do Corpo de Bombeiros, no bairro Nova Rússia. Ela foi encaminhada para o local na última sexta-feira (4), depois que teve decretada prisão preventiva. Até então ela permanecia na Delegacia de Ponta Grossa devido a um pedido de prisão temporária – com prazo de validade de cinco dias. (Da Gazeta do Povo)




Twitter - Políticos

Jair Bolsonaro


Ratinho Junior


Rafael Greca


Álvaro Dias


Flavio Arns


Professor Oriovisto Guimarães

S5 Box