Nacional
O presidente da República, Michel Temer (PMDB), afirmou nesta segunda-feira (17) que "uma delação qualquer" não pode paralisar o Brasil. A declaração foi dada pelo presidente em entrevista ao SBT cinco dias após o fim do sigilo sobre as delações da Odebrecht, que citam centenas de políticos, inclusive o próprio Temer – que tem imunidade temporária e, por isso, não pode ser investigado. "Minha preocupação é trabalhar pelo Brasil", afirmou Temer ao ser questionado se não temia ser investigado depois de deixar… Leia Mais
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, acertou nesta segunda-feira (17/4) com o ministro Edson Fachin a criação de um grupo de assessoria especializada para conferir celeridade aos processos da Operação Lava Jato que tramitam na Corte. Fachin é o relator dos processos da Lava-Jato no STF.  Os dois se reuniram por cerca de duas horas no final da manhã, na mesma sala do edifício-sede do STF onde estavam guardados no mês passado os pedidos encaminhados pelo… Leia Mais
O ex-executivo da Odebrecht Carlos Fadigas afirmou no depoimento de delação premiada que a construtora pagou propina, em troca da aprovação de uma medida provisória, para os senadores Romero Jucá (PMDB-RR), Eunício Oliveira (PMDB-CE), e para os deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA). A assessoria de Maia disse que, segundo o deputado e presidente da Câmara, "são falsas as citações dos delatores" (veja íntegra abaixo). O G1 tentou contato com a assessoria de Eunício, que é presidente do… Leia Mais
O ex-executivo da Odebrecht Fernando Reis afirmou em depoimento que a empresa foi procurada por políticos interessados em doações via caixa dois nas eleições municipais de 2016 mesmo quando já era sabido que negociava acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Pelo acordo, executivos e ex-executivos acertaram colaborar com as investigações da Lava Jato em troca de benefícios, como eventual redução da pena de prisão em caso de condenação. As negociações da Odebrecht para a delação tiveram início… Leia Mais
O futuro dos delatores da Odebrecht está nas mãos do ministro Edson Fachin. É ele quem vai decidir quando os ex-executivos começam a cumprir pena. Marcelo Odebrecht é o único que está preso. Os crimes vão de corrupção a caixa dois nas campanhas eleitorais. Eles vão pegar penas mais leves, mas serão punidos. Para dar uma idéia do alcance político das delações, 18 partidos têm representantes investigados na Lava Jato. Setenta e seis inquéritos nos Supremo Tribunal Federal. Noventa e… Leia Mais
As delações premiadas de executivos da Odebrecht citaram algumas das figuras mais importantes da política recente no Brasil, mas nem todas já são alvos de inquéritos na Justiça. Uma das suspeitas mais comuns é a de receber ou cobrar propinas da construtora para campanhas eleitorais em troca de favores políticos. Veja a seguir quais são as suspeitas sobre os principais nomes que apareceram durante as investigações. Com "imunidade temporária", o presidente não pode ser investigado por crimes que não aconteceram… Leia Mais
Em muitos dos casos de pagamentos indevidos a políticos denunciados na operação Lava-Jato, funcionários e ex-funcionários da Odebrecht relataram que as propinas renderam benefícios concretos à construtora. Aprovação de medidas provisórias e leis que atendem aos seus interesses e interferências em licitações, principalmente da área de transportes e hidrelétricas, estão entre os casos mais comuns. As acusações aparecem em inquérito autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A PGR… Leia Mais
O empreiteiro Marcelo Odebrecht, um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou ao juiz federal Sérgio Moro que a empreiteira “botou R$ 40 milhões que viriam para atender as demandas que viessem de Lula”. Segundo o delator, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “nunca pediu” diretamente. A combinação, afirmou, foi feita via ex-ministro Antonio Palocci (Governos Lula e Dilma/Fazenda e Casa Civil). “Tinha um saldo de R$ 40 milhões do que eu tinha combinado com Palocci. O que eu… Leia Mais
Réu em cinco processos referentes à Lava Jato e seus desdobramentos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é alvo de outros seis pedidos de investigações criminais enviados pelo ministro Edson Fachin – relator do caso no Supremo Tribunal Federal – para a Justiça Federal de primeira instância. As solicitações foram feitas com base em delações de executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht. Lula, segundo delatores, se comprometeu a melhorar as relações entre a empreiteira e a presidente Dilma Rousseff… Leia Mais
Relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra nove ministros do governo Michel Temer, 29 senadores e 42 deputados federais. O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao STF com base nas delações de executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht. A informação é do blog do jornalista Fausto Macedo, do jornal O Estadão de São Paulo, que… Leia Mais
O ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis afirmou em seu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cuidou do repasse de R$ 4 milhões ao PDT, na campanha de 2014, a pedido de Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Guido Mantega. O objetivo era comprar o apoio do partido à Chapa Com a Força do Povo, encabeçada pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em especial, ao tempo de TV da legenda. “A missão que me foi dita,… Leia Mais
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

S5 Box